Câmara Municipal de São Paulo Especialistas defendem mais participação popular para melhorar a educação

Segunda Paulistana debate educação transformadora no plenário da Câmara Municipal

DA REDAÇÃO 

Especialistas educacionais sinalizaram nesta segunda-feira (17/4), durante o “Segunda Paulistana” da Câmara Municipal de São Paulo, para a necessidade de mais participação popular no acompanhamento das políticas públicas de educação.

Para os participantes, a responsabilidade não é apenas dos governos municipal, estadual e federal, e sim, de toda a população. De acordo com o diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna, Mozart Neves Ramos, a ausência da sociedade pode fazer com que políticas importantes não sejam mantidas.

“Quando as pessoas se unem e trabalham em prol da educação, as chances são maiores de os bons projetos continuarem. O papel da sociedade civil é de guardião das políticas que comprovadamente estão dando resultado e devem continuar, independentemente do governo que estiver no poder”, disse Mozart.

As parcerias com empresários e ONGs foram citadas como maneiras de contribuir com o avanço do ensino público. O presidente e fundador da Associação Parceiros da Educação – responsável por promover parcerias entre empresas e organizações da sociedade civil com escolas públicas -, Jair Ribeiro, contou como as ações de sua instituição têm trazidos bons resultados para as escolas estaduais.

“Trabalhamos o pedagógico, por meio da capacitação dos professores e reforço dos alunos, ajudamos na gestão das escolas por meio de metas, fazemos propostas para melhorar a infraestrutura e estimulamos a inserção da comunidade na escola”, detalhou. Ele acrescentou que iniciativas como essa não tem o objetivo de “substituir” as obrigações do Estado.

A professora da rede municipal de Caieiras (SP), Fernanda Faria, veio até à Câmara para acompanhar o debate. Para ela, os especialistas têm razão e a educação pode melhorar com mais participação.

“As escolas precisam ter mais preparo para lidar com a situação de cada aluno e os pais precisam participar mais, acompanhando os filhos, os matriculando nas escolas e participando das reuniões escolares”, comentou.

A assessora da Subsecretaria de Assuntos Metropolitanos e integrante do Conselho Consultivo da ONG Engaja Brasil – que aproxima e estimula quem tem interesse e recursos financeiros, humanos ou intelectuais para apoiar projetos que propõem soluções para um problema social –, Eliana Falque, concordou.

“Falta a participação e o envolvimento de todos no processo de debate e fiscalização das leis que muitas vezes são boas e não são cumpridas”, disse.

A responsável por promover o “Segunda Paulistana”, vereadora Aline Cardoso (PSDB), ficou satisfeita com o debate e destacou a importância da Câmara estar aberta para ouvir todos.

“Sempre venho com mais perguntas do que respostas para esses eventos. Nós, como vereadores, somos representantes da sociedade, e nos cabe dialogar com todos e representar o cidadão”, disse.

Segunda Paulistana

O Segunda Paulistana é um evento realizado mensalmente pelo mandato da vereadora Aline Cardoso e tem o objetivo de aproximar a Câmara da população para discutir os principais desafios da cidade. Os debates são gratuitos e abertos a todos.

 

Fonte Oficial: http://www.camara.sp.gov.br/blog/especialistas-defendem-mais-participacao-popular-para-melhorar-a-educacao/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Confira Também

Vereadores debatem temas ligados à saúde, meio ambiente e desestatização

Sessão Plenária desta terça-feira (22/10) MARCO ANTONIO CALEJODA REDAÇÃO Na tarde desta terça-feira (22/10), durante …