Alexandre de Moraes é empossado ministro substituto do TSE — Tribunal Superior Eleitoral

Na noite desta terça-feira (25), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes tomou posse como membro substituto no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  A cerimônia foi realizada no gabinete da Presidência do TSE na presença dos demais ministros da Corte, do vice-presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ministro Humberto Martins, do vice-procurador-geral eleitoral Nicolao Dino e de parlamentares.

“É com muita honra e muita responsabilidade que eu assumo o cargo. O TSE é um Tribunal importantíssimo não só pela matéria jurisdicional, mas administrativa, consultiva. É o único Tribunal que reúne essas três características de uma maneira muito forte e passa por um momento importantíssimo de fortalecimento da democracia pelas decisões do Tribunal Superior Eleitoral”, declarou o empossado.    

Ao falar em nome de todo o Colegiado, o presidente do TSE ministro Gilmar Mendes saudou a vinda do ministro Alexandre de Moraes e ressaltou que a Corte “poderá contar com sua profícua experiência para a condução dos trabalhos de jurisdição eleitoral”.

O presidente destacou, ainda, que o TSE está se recompondo com as designações dos novos ministros Admar Gonzaga e Tarcisio Vieira que em breve serão empossados, e também com a designação pelo Supremo do ministro substituto Alexandre de Moraes.

“É importante que a Casa esteja completa. Até porque como nós sabemos, aqui no Tribunal Superior Eleitoral os ministros substitutos participam, julgam, têm função, a toda hora nós temos a participação deles”, ponderou.

Composição

Conforme determina o artigo 119 da Constituição Federal de 1988, a Corte do Tribunal Superior Eleitoral é composta por sete magistrados, escolhidos da seguinte forma: três ministros são eleitos dentre os membros do STF, dois ministros são eleitos dentre os membros do STJ e dois ministros são nomeados pelo presidente da República, escolhidos dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados pelo STF.

Para cada ministro efetivo, é eleito um substituto escolhido pelo mesmo processo. Todos são designados para um biênio, sendo proibida a recondução após dois biênios consecutivos.  A rotatividade dos juízes no âmbito da Justiça Eleitoral visa a manter o caráter apolítico dos tribunais eleitorais, de modo a garantir a isonomia nos processos eleitorais.

JP/MM

Fonte Oficial: http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2017/Abril/alexandre-de-moraes-e-empossado-ministro-substituto-do-tse.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Portal do TSE disponibiliza publicações oficiais da Justiça Eleitoral — Tribunal Superior Eleitoral

O compromisso da Justiça Eleitoral com a transparência e a efetividade está presente em todos …