TST >> Sindicatos da aviação civil garantem número de trabalhadores para manter serviços durante greve nacional

document.write(‘‘); !function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”);



O vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Emmanoel Pereira, se reuniu nesta quarta-feira (26) com trabalhadores do setor aéreo e obteve da categoria a garantia de que, se houver paralisação nos aeroportos na próxima sexta-feira (28), os aeronautas (pilotos e copilotos), aeroviários e aeroportuários, que prestam serviço em solo, vão manter quantidade mínima de trabalhadores em atividade para assegurar a operação dos voos.

A audiência no TST teve a participação de dirigentes do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) e da Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (Fentac). Os aeroviários e aeroportuários decidiram paralisar as atividades em todo o Brasil, mas os aeronautas ainda vão realizar assembleias nessa quinta-feira (27) para deliberar sobre a adesão.

Emmanoel Pereira orientou os trabalhadores a recuarem quanto à greve marcada para sexta-feira, e disse que as entidades sindicais devem continuar as negociações com parlamentares em defesa dos interesses das categorias em relação aos direitos previdenciários e trabalhistas, em debate no Congresso Nacional.

De acordo com o ministro, a reunião na Vice-Presidência do TST foi positiva. “Caso a greve realmente ocorra no dia 28, quanto ao setor de transporte aéreo, houve a garantia de quantidade mínima de trabalhadores em serviço”, afirmou.

Presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas, o piloto Rodrigo Spader reconheceu a preocupação do Tribunal em reduzir eventuais consequências de movimentos grevistas. “Há por parte dos trabalhadores um compromisso dos sindicatos em minimizar qualquer prejuízo aos passageiros decorrente da paralisação”, afirmou.

Para o presidente da Fentac, Luiz Sergio Dias, é interessante ter o TST como aliado na busca de uma solução para que se evite a greve. Ao avaliar a necessidade da paralisação, ele ressaltou que todos os trabalhadores da aviação têm o intuito de que suas reivindicações sejam atendidas. “Mas vale destacar o compromisso com a questão humanitária e de segurança de voo que sempre vamos ter”, concluiu.

A reunião também tratou das necessidades das categorias em questões relativas à negociação coletiva. O vice-presidente do TST também mantém diálogo nesse sentido o com os representantes das empresas de transporte aéreo.

(Guilherme Santos/CF/PR. Foto: Aldo Dias)

Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Secretaria de Comunicação Social
Tribunal Superior do Trabalho
Tel. (61) 3043-4907
secom@tst.jus.br
<!– –> var endereco; endereco = window.location.href; document.write(‘‘) <!—-> Inscrição no Canal Youtube do TST

Fonte Oficial: http://www.tst.jus.br/web/guest/noticias?p_p_id=89Dk&p_p_lifecycle=0&refererPlid=10730&_89Dk_struts_action=%2Fjournal_content%2Fview&_89Dk_groupId=10157&_89Dk_articleId=24287366.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Artista brasiliense faz gravura do TST em homenagem ao aniversário de Brasília

A gravura foi elaborada a partir de fotografia da fachada do Tribunal e vai compor …