Curitiba/PR: Secretário da Saúde faz balanço do quadrimestre na Câmara Municipal

O secretário municipal da Saúde, João Carlos Baracho, participou de sessão de prestação quadrimestral de contas na Câmara Municipal, nesta quarta-feira (24/5). Baracho mostrou os avanços na saúde nos quatro primeiros meses de gestão, ouviu elogios sobre a atual administração e também respondeu a questionamentos de vereadores em relação a pontos que ainda devem ser melhorados.

O secretário também falou para os vereadores sobre a importância da aprovação do Plano de Recuperção de Curitiba na Câmara para que os problemas orçamentários possam ser equacionados.

Os principais temas abordados por Baracho foram medicamentos, atendimentos nas UPAs, segurança nos postos de saúde, fechamento do posto Medianeira para investigação de quatro casos de reação à vacina da gripe, mutirões do Saúde Já e aplicativo Saúde Já Curitiba. “Nosso maior objetivo é garantir a proporcionalidade do atendimento do SUS, para que tenhamos um serviço eficiente e suficiente. Queremos que o SUS Curitiba volte a ser referência nacional”, disse Baracho.

Medicamentos

Baracho explicou aos vereadores sobre a situação de desabastecimento de medicamentos no início da gestão, quando havia a falta de 39 itens de distribuição aos usuários e a dificuldade de receber produtos dos fornecedores. “É muito difícil administrar quando você assume uma herança tão negativa. Não havia credibilidade junto aos fornecedores, porque existiam dívidas em atraso desde 2016, algumas desde 2015. Mas nós começamos a pagar direitinho 2017 e começamos a ter mais credibilidade com eles”, disse.

Para regularizar o abastecimento, foi feita a compra de um estoque regulador de três meses. “Quando o estoque baixar para dois meses, faremos mais uma compra, para não termos mais problema de desabastecimento”, explicou Baracho.

A previsão é que todos os medicamentos cheguem até o fim de maio e que, nas primeiras semanas de junho, o abastecimento dos postos esteja regularizado.

UPAs

O secretário aproveitou a oportunidade para relembrar a necessidade de proporcionalidade nos serviços de saúde, lembrando que UPAs são estruturas para atendimento de urgência e emergência. “Considerando os casos de urgência e emergência, o dimensionamento dos nossos serviços está adequado, em relação a tamanho e quantidade de UPAs. Mas precisamos contar com a população para que em casos que não sejam de urgência sejam tratados nas unidades básicas”, afirmou. 

Baracho também aproveitou o momento para desmentir o boato sobre fechamento de UPAs. Ao contrário, segundo ele, a gestão está trabalhando na melhoria do serviço, com a abertura da UPA Tatuquara, nesta semana, numa área da cidade distante e em que havia carência deste tipo de serviço.

Os vereadores questionaram também sobre a perspectiva de abertura da UPA CIC. “Nós abrimos a UPA Tatuquara esta semana e já imediatamente começamos a trabalhar na equação para a abertura da UPA CIC. A previsão é que seja aberta no segundo semestre deste ano”, disse Baracho. A UPA CIC foi fechada para reforma, durante a gestão anterior, mas sem previsão de orçamentos para equipamento e RH.

Baracho também mencionou a necessidade – já apontada pelo Conselho Regional de Medicina (CRM) – de realizar uma reforma ou readequação na UPA Pinheirinho.

O secretário também falou sobre a necessidade de uma unidade de estabilização de casos agudos de transtornos mentais.

Segurança

Os vereadores mencionaram a preocupação relacionada a casos de furtos em unidade de saúde. De acordo com Baracho, o secretário municipal de Defesa Social, Algacir Mikalovski, está disponibilizando mais guardas municipais para garantir mais segurança aos funcionários e ao patrimônio público. 

Unidade Medianeira

O secretário da Saúde também explicou que o posto Medianeira permanece fechado para investigações de quatro reações adversas à vacina na gripe em quatro idosos, vacinados no dia 27 de abril..

Dos quatro pacientes, três já tiveram alta e um está internado, mas tem uma boa evolução de seu quatro clínico. “Fechamos por segurança para podermos fazer a investigação da melhor forma e agora estamos analisando os próximos passos”, disse.

Mutirões do Saúde Já

Um dos grandes avanços destes quatro primeiros meses estão no equacionamento de filas de especialidades, com a estratégia Saúde Já. Em média, 23% das filas foram reduzidas.

Em algumas modalidades os avanços foram ainda mais expressivos, como a redução de 89% na fila de ressonância magnética, 85% em radiologia e 78% para cirurgia de vasectomia. “Em Curitiba, a fila anda”, disse Baracho.

Em radiologia ou diagnóstico por raio x havia 17.224 pessoas na fila e agora, 2.534. O tempo de espera antes da ação continuada era de 6 meses. A fila da ressonância magnética, que reunia 271 pessoas, agora tem apenas 29. A espera chegava a 5 meses antes. Na fila de vasectomia havia 776 pessoas e agora há 174. A fila da espera era de 6 meses.

O mutirão de pequenas cirurgias de pele tinha 4.260 pessoas na fila e agora conta com 1.795, redução de 58 %. O tempo médio de espera era de 19 meses para a cirurgia.

O trabalho reforçado para consultas dermatológicas reduziu a fila em 18% (de 15.810 para 12.931) e para cardiológicas, em 41% (de 6.066 para 3.607). O tempo de espera para consultas de dermatologia era, antes do Saúde Já, em média de 10 meses e da consulta de cardiologia de 10 meses.

Na ortopedia a redução da fila foi de 18% (de 25.405 para 20.808). O tempo de espera anterior era de 22 meses.

Aplicativo Saúde Já Curitiba

Outro importante avanço desta gestão foi o lançamento do aplicativo Saúde Já Curitiba, que está em fase de piloto no distrito sanitário de Santa Felicidade e do Portão.

O aplicativo permite agendar o primeiro atendimento no posto de saúde. Após esse atendimento, se houver necessidade, é marcada a consulta médica ou o encaminhamento que for adequado, seja um exame ou atendimento com a equipe de enfermagem, diretamente no posto de saúde. A principal vantagem do app é evitar ter de ir para a fila de madrugada, em busca de senha.

“Nós lançamos no distrito do Portão, com a previsão de implantar de forma escalonada a cada três meses, depois em Santa Felicidade, Tatuquara e, em 2018, em todo o restante da cidade. Mas como está indo muito bem, adiantamos a implantação em Santa Felicidade e a expectativa é a implantação em toda a cidade ainda este ano”, disse Baracho.

O app está disponível para o sistema Android e via intenet pelo site saudeja.curitiba.pr.gov.br. Já foram registrados 4,6 mil acessos. No futuro, o aplicativo estará disponível na app store e nos totens em ruas da cidadania, terminais de ônibus, praças e postos de saúde.

Além do aplicativo, o usuário que quiser poderá continuar acessando diretamente a unidade de saúde.

Dispositivo legal

As audiências públicas quadrimestrais para prestação de contas da saúde são determinadas pela lei complementar federal 141/2012 aos gestores do SUS das cidades, estados, Distrito Federal e União.

A atividade foi coordenada pela Comissão de Saúde, Bem-Estar Social e Esporte da Câmara, presidida por Maria Leticia Fagundes. O colegiado também reúne os vereadores Osias Moares , Mestre Pop, Noemia Rocha e Oscalino do Povo. 

No dia 31 de maio, o Legislativo de Curitiba terá audiência pública para a prestação de contas da Secretaria Municipal de Finanças, também referente ao primeiro quadrimestre deste ano.  O titular da pasta é Vitor Puppi. 

 

Fonte Oficial: http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/secretario-da-saude-faz-balanco-do-quadrimestre-na-camara-municipal/42230.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Curitibinhas discutem educação no trânsito e uso da bicicleta – Prefeitura de Curitiba/PR

Estudantes do 5° ano da Escola Municipal Sady Souza, no Sítio Cercado, vão percorrer as …