Fortaleza/CE: Câmara realiza sessão solene em alusão aos 64 anos do Sindicato dos Jornalistas do Ceará

Jornalistas foram homenageados durante a solenidade Fotos: André Lima

A Câmara Municipal de Fortaleza realizou nesta terça-feira (30), Sessão Solene em homenagem aos 64 anos do Sindicato dos Jornalistas do Estado do Ceará (Sindijorce). O evento foi proposto pela vereadora Eliana Gomes (PCdoB), através do requerimento 12106/2017, aprovado por unanimidade pelo plenário da casa. A sessão foi presidida pelo vereador Acrísio Sena (PT), no ato representando o presidente Salmito Filho (PDT). Acrísio subscreveu o requerimento da homenagem, ao lado o vereador Guilherme Sampaio, também do PT.

A mesa dos trabalhos foi composta pelas seguintes personalidades: Luís Carlos Paes, presidente estadual do PCdoB; Rafael Mesquita, diretor de Educação da Federação Nacional dos Jornalistas; Carolina Campos, jornalista do Portal Vermelho do Ceará e homenageada desta noite; Samira de Castro Cunha, jornalista do Diário do Nordeste e presidente do Sindijorce, outra homenageada da noite; Emília Augusta, assessora de imprensa da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado, também homenageada; Miguel Macedo, professor do curso de Jornalista Uni7, o quarto homenageado e a Vereadora Eliana Gomes, propositora da solenidade.

Em suas palavras de saudação aos presentes, a vereadora Eliana Gomes, observou que o Sindijorce foi criado em 26 de maio de 1963, fruto da antiga Associação dos Jornalistas. “Desde então, o sindicato viveu 22 processos eleitorais, com 27 presidentes democraticamente eleitos. Foi o primeiro sindicato do Brasil a eleger uma mulher – Ivonete Maia, que foi aluna da primeira turma do curso de jornalismo do Ceará. A entidade vive uma trajetória de lutas e com compromisso com a categoria, com a ética, com a transparência, que são pontos que queremos para nosso país. Como resultado do processo sindical, depois de 10 anos de combate às violações de direito, conseguiu vencer na Justiça um processo que deu direito aos jornalistas de TV, que haviam sido contratados como radialistas, a terem um reenquadramento. Temos ainda a frente pelo diploma superior para exercer a profissão”, disse a vereadora.

Segundo Eliana, o Sindicato sempre tem se colocado firme diante da conjuntura atual, diante de um golpe de direitos, tramado no Congresso Nacional e de desmonte dos direitos dos trabalhadores. O Sindicato escreve a história, reconstruindo o retorno a democracia em nosso País.” E viva os jornalistas, e viva o Sindijorce. Quero terminar com uma só palavra “Fora Temer”, para o país avançar!”

Após a entrega das comendas, a jornalista Samira de Castro falou em nome dos homenageados. “É com grande satisfação que o Sindicato recebe essa homenagem. Eu tomei uma decisão de não cantar o hino nacional enquanto o país não tiver sua democracia retornada. Considero a retirada da presidente legitimamente eleita, uma barbárie. Mas entendo que devemos lutar para colocar o jornalismo como pilar da democracia. Não podemos aceitar o que querem fazer com o Brasil. Além de acabar com os direitos dos trabalhadores, querem acabar com os sindicatos e com a Justiça do Trabalho. Motivei-me mais a estar na luta com meus colegas para continuar nesse trabalho de resgate. Por minha atuação sindical, eu hoje sou impedida de entrar na redação do Diário do Nordeste, como também a jornalista Débora Lima, no jornal o Povo. Mas isso não afeta nosso proposito”.

“Passamos 10 anos lutando contra a emissoras de televisão para o correto enquadramento dos nossos colegas na televisão e hoje eles estão recebendo indenizações merecidas. O jornalismo cearense é um dos mais premiados e temos profissionais renomados, mas nossa categoria não é reconhecida. O que vejo é que todo nosso trabalho poderá ser colocado de lado se não derrubarmos essas reformas. Faço, agora, uma homenagem ao ex-senador Inácio Arruda, relator da PEC do Diploma, que foi aprovado no Senado, mas nunca foi colocado em votação na Câmara. E em nome e cada um dos presidentes que me precederam, agradeço a homenagem e quero dizer a todos os colegas que estão nas redações, nas assessorias e nas bancas de universidades, que é por eles que o Sindicato existe”, concluiu.

O jornalista Miguel Macedo se pronunciou, em seguida, e disse que concedeu uma entrevista quando falou da relação da formação do jornalista hoje com a situação atual do país. “Lembro do meu tempo de faculdade na UFC, quando eu refletia isso com os grandes professores como Ivonete Maia e Adísia Sá. Eu já via essa importância e que deveríamos exercer no dia a dia a fiscalização e a manutenção da democracia. Parabenizo os tantos jornalistas anônimos que tanto fizeram por nossa classe. Lembro que quando decidiram pelo fim da obrigatoriedade do diploma, minha filha que era estudante chegou em casa chorando perguntando o que faria com o diploma, se jogaria no lixo. Eu disse que não, que ela iria emoldurá-lo e exercer a profissão com dignidade, e é isso que ela está fazendo hoje”, concluiu

E seguida a jornalista Emília Augusta disse ser grata pela homenagem, principalmente por vir de uma mulher batalhadora, como Eliana Gomes. “O Sindicato é uma entidade de muita luta. Participamos de greve e movimentos e todo esse trabalho sindical precisa ser incentivado nas universidades para que as pessoas voltem a fortalecê-lo. Participo da histórica Associação Cearense de Imprensa, e vejo temos que trabalhar juntos para melhorar nossa situação. Nesses mais de 40 anos de profissão tenho orgulho e me sinto feliz em ser jornalista, mas precisamos fazer com que nossa profissão seja fortalecida, cada vez mais”, observou.

Carolina Campos também se pronunciou afirmando que além da honra de ser citada e de representar uma categoria, diante desse atual cenário que vivemos hoje, entende que o jornalismo é um sacerdócio. “Pensei em fazer um recorte das mulheres que passaram por minha vida, todas de luta, como Tânia Furtado, Débora Lima, Suzete Nocrato, Samira de Castro, Eliana Gomes e Gilse Conseza, entre outras, a elas minha sincera homenagem.

Currículo homenageados

Carolina Campos de Oliveira é formada pela UFC desde 2001. Ainda estudante iniciou sua atuação na TV Verdes Mares e TV Cidade com foco produção e edição de telejornais, Foi assessora ainda 2002 da Associação do Ministério Público Estadual (MPE), assessora do gabinete do deputado Chico Lopes e da Secretaria Regional I. Atuou nas eleições de 2008, 2012 e 2016 e no Governo do Estado, na Secretaria do Esporte. Atualmente está no PCdoB, como responsável pelo caderno cearense do Portal Vermelho.

Samira de Castro, graduada UFC em 1998, com pós-graduação Gestão de Comunicação nas Organizações no Cetrede. Repórter do Diário do Nordeste (DN), editora de Reportagem, assessora da Associação dos Defensores Públicos, presidente do Sindijorce e tesoureira da Federação Nacional dos Jornalistas. Iniciou no DN em 1997, ainda estudante, trabalhou nos Correios, e fez serviços freelance. Está entre os 200 jornalistas mais premiados de todos os tempos e os 50 do Nordeste.

Emilia Augusta Bedê Furtado Pamplona, formada em jornalismo e relações públicas pela UFC,. Trabalhou já no segundo ano da faculdade como repórter de video da TV Verdes Mares. Foi redatora editoria do jornal do Meio Dia. Depois em 11 anos trabalhando em televisão optou pelo jornal impresso e em 1998 ingressou no jornal O Povo. Em 1984, foi diretora de produção da TV Ceará, paralelamente em seu trabalho exerceu a função em assessoria de imprensa. Trabalhou nos governos Virgílio Távora e Gonzaga Mota; atuou no Conselho da Mulher; atuou como assessora imprensa do CREA e da OAB e Sindicato dos médicos. Foi por dois mandatos assessora de imprensa do deputado Eudoro Santana e desde 2002 está na assessoria do deputado, senador e hoje secretário de Ciência e Tecnologia e Educação Superior do Estado, Inácio arruda, além de ser diretora da ACI.

Miguel Macedo, formado pela UFC em 1984. Sindicalizado desde então. Em 2006 iniciou na função de professor da UNI7. Estudioso e pesquisador de temas do jornalismo imprenso literário, cultural e de web jornalismo. Ensina na pós-graduação na Unifor e da Estácio/FIC; Especialista em Turismo e Meio Ambiente, Negócios de Turismo. todos pela UECE. Iniciou a carreira em 1984 como repórter de cidade do jornal O Povo. Foi editor do Segundo Caderno; Diretor de Jornalismo da TV Ceará e chefe de Reportagem do DN; foi autor do Guia de Praias do Estado do Ceara, editada pela Fundação Demócrito Rocha. Foi assessor comunicação da UNILAB e atualmente é professor da UNI7 e consultor na área de comunicação, compartilhando conhecimentos e novas experiências.

Fonte Oficial: http://wp.cmfor.ce.gov.br/cmfor/camara-realiza-sessao-solene-em-alusao-aos-64-anos-do-sindicato-dos-jornalistas-do-ceara/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Vereadores debatem temas ligados à saúde, meio ambiente e desestatização

Sessão Plenária desta terça-feira (22/10) MARCO ANTONIO CALEJODA REDAÇÃO Na tarde desta terça-feira (22/10), durante …