Fortaleza/CE: Audiência pública na CMFor evidencia a importância das políticas públicas voltadas para a mulher

 

Debate na CMFor em alusão ao Dia Nacional de Combate à Mortalidade Materna – Foto: Evilázio Bezerra

Em alusão ao Dia Nacional de Combate à Mortalidade Materna, a Câmara Municipal de Fortaleza realizou audiência pública nesta quarta-feira, 31, destacando a necessidade de políticas públicas efetivas em relação à saúde da mulher. Proposto pela vereadora Larissa Gaspar (PPL), o debate colocou em evidencia o desafio da redução da mortalidade materna, em que Fortaleza registra ainda um número elevado de mortes materna e obstétrica, mesmo com uma redução dos índices.

O momento, como ressaltou Larissa Gaspar, reforça a importância de um debate amplo sobre a saúde da mulher e os direitos estabelecidos pela Política Nacional. A parlamentar elencou a problemática com a violência doméstica, que impacta significativamente na mortalidade materna, associada a violência sexual e o aborto realizado de forma clandestina mesmo nas situações amparadas por Lei.

A diretora técnica do Hospital da Mulher, Dra. Shirley  Bruno, destacando a rede de atenção à saúde da mulher no Município, salientou a otimização do atendimento em Fortaleza com a implantação da Central Única de Regulação, com consultas especializadas e aumento de leitos de UTI’s. Segundo a gestora a ampliação do suporte à saúde da mulher vem sendo uma ação constante da Prefeitura de Fortaleza, que impacta diretamente na saúde da cidade.

A vereadora Cláudia Gomes (PTC) enaltecendo a necessidade de debates sobre os problemas enfrentados pela mulher no acesso as políticas públicas essenciais reforçou a atuação da Câmara Municipal de Fortaleza na mediação junto ao Poder Executivo. A parlamentar destacou as ações da bancada feminina da Casa do Povo, que em reunião com o prefeito Roberto Cláudio apresentará propostas voltadas para o fortalecimento da rede de atenção à mulheres, em especial as vítimas de violência e em situação de vulnerabilidade social.

A coordenadora técnica de Saúde da Mulher da Secretaria de Saúde do Município e presidente do Comitê de Óbito Materno, Dra. Léa Dias Pimentel  destacou a luta constante na diminuição dos índices de mortalidade materna. A gestora falou sobre o papel das Conferência Municipais e Estaduais na efetivação de políticas efetivas, ressaltando a importância da participação dos movimentos sociais e agentes públicos.

O debate contou com a participação da coordenadora de Políticas para a Mulher, Márcia Aires, que reforçou o discursos de uma saúde integrada, tendo em vista os impactos gerados pela violência doméstica. A problemática da violência, segundo ela, vem aumentando significativamente o número de mulheres no atendimento em saúde mental. As ONG’s Ama Doce e Parto Normal e a Associação Brasileira de Obstetrizes, Enfermeiros Obstetras e Neonatais (ABENFO-CE), além dos Movimentos Outubro Rosa e Março Lilás, também integraram o debate na CMFor.

Fonte Oficial: http://wp.cmfor.ce.gov.br/cmfor/audiencia-publica-na-cmfor-evidencia-a-importancia-das-politicas-publicas-voltadas-para-a-mulher/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Vereadores debatem temas ligados à saúde, meio ambiente e desestatização

Sessão Plenária desta terça-feira (22/10) MARCO ANTONIO CALEJODA REDAÇÃO Na tarde desta terça-feira (22/10), durante …