Curitiba/PR: Escola Darcy Ribeiro, no Tatuquara, faz silêncio para o Momento da Leitura

Toda quarta-feira, há dois meses, a Escola Municipal Darcy Ribeiro, no Tatuquara, consegue um feito inédito em se tratando de uma unidade de ensino para crianças. Durante 20 minutos, pela manhã e à tarde, o local permanece quase em total silêncio. É o Momento da Leitura, que põe as crianças maiores para ler livros e notícias de jornais e revistas, enquanto as menores ouvem estórias ou imaginam enredos por trás das ilustrações. A ação também alcança professores e funcionários.

O Momento da Leitura é uma das ações previstas no projeto Leitura com Compreensão, Desafiando a Imaginação – um dos itens do Plano de Ação da escola para 2017. Ela nasceu da constatação feita pela pedagoga Sara Faradje de Araújo Queiroz de que muitos estudantes vão mal em Matemática, por exemplo, porque não conseguem interpretar enunciados de questões de prova.

“A intenção é que cada criança leia, entenda o que está lendo e faça isso com gosto”, observa a diretora da unidade, Clea Toffoli, responsável por 655 estudantes da Educação Infantil ao 5º ano e Classe Especial (estudantes com dificuldades de aprendizagem), além de 57 trabalhadores permanentes e terceirizados. Ainda não houve tempo para aferir os efeitos da ação sobre as notas dos estudantes, mas algumas mudanças já podem ser observadas.

Primeiros resultados

Os professores relatam para Clea que as turmas, de modo geral, estão mais concentradas na leitura ou no ouvir histórias e raramente se dispersam com estímulos externos. “O que nos leva a crer que o que eles estão lendo ou ouvindo é mais interessante do que o que se passa em volta. Além de qualidade, importante para cultivar o hábito da leitura, é um exercício interessante para a hora das provas”, conclui a educadora.

As turmas de Educação Infantil, em que as crianças ainda não estão sendo alfabetizadas, fogem à regra. Animadas pelos livros coloridos que têm em mãos e também pelos dos coleguinhas, elas soltam exclamações sobre as figuras e o significado que atribuem a elas. A interação com quem está mais perto é inevitável.

As salas da Educação Infantil são as únicas em que, durante o Momento da Leitura, há alguma agitação. Mesmo assim, comenta a diretora, já é possível observar neles a postura de leitor. “Ninguém segura os livros de cabeça para baixo e todos os folheiam demonstrando curiosidade e interesse em entender o enredo sugerido pelas ilustrações”, diz.

Equipe envolvida

A prática se repete fora das salas de aula. No refeitório, na sala dos professores ou na biblioteca, todos estão lendo alguma coisa. Em sua mesa, situada no pátio interno da escola, a inspetora Rozilda Ferreira de Andrade retoma a leitura de Meninos e Meninas, do paranaense Domingos Pellegrini. “Assim é bom que posso ler também aqui”, conta, tirando o livro da gaveta.

A corregente de 1º ano Josira Maria da Costa aproveita parte do horário dedicado à preparação das aulas de Ciências para a leitura. “É uma iniciativa maravilhosa. Eu e meu filho, que estuda à tarde, adoramos”, conta. Aos 7 anos, João Otávio da Costa Gomes está no 3º ano e costuma levar livros da escola para casa. Depois de ler para a família, o garoto pede para a mãe ler. “É evidente o entusiasmo do João. É algo para ser cultivado em todas as crianças”, completa.

Murais interativos

A proposta de incentivo à leitura não se esgota na quarta-feira. O projeto também levou à criação de murais temáticos com desafios específicos para cada turma. Os desafios são perguntas, ao estilo charada, propostas pelos professores e relacionadas aos temas em estudo nos diferentes conteúdos.

Sob cada pergunta há um envelope em que os estudantes colocam tiras de papel com as respostas e o nome do autor. Até mesmo alguns servidores, como Rozilda, participam. O anúncio da resposta à questão proposta é feita a cada duas semanas, depois que todos cantam o Hino Nacional, também às quartas-feiras. “Queremos que cada pessoa dessa escola pare na frente dos murais, leia e reflita para responder. É um rápido exercício de interpretação de texto, um treino para que a leitura se torne um hábito natural e prazeroso”, resume Clea.

 

 

Fonte Oficial: http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/escola-darcy-ribeiro-no-tatuquara-faz-silencio-para-o-momento-da-leitura/42351.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Curitibinhas discutem educação no trânsito e uso da bicicleta – Prefeitura de Curitiba/PR

Estudantes do 5° ano da Escola Municipal Sady Souza, no Sítio Cercado, vão percorrer as …