TSE empossa Sérgio Banhos como ministro-substituto — Tribunal Superior Eleitoral

Advogados, juristas e autoridades dos poderes Judiciário e Legislativo prestigiaram, na noite desta quarta-feira (23), a posse do jurista Sérgio Banhos como ministro-substituto do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ele inicia o seu primeiro biênio na Corte Eleitoral, até 2019.

Ao assinar o termo de posse, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, destacou em sua fala o currículo do novo ministro-substituto e saudou o seu ingresso na Corte Eleitoral. “Sua sólida formação acadêmica e larga experiência profissional, sua postura sempre cortês, serena e prudente – aliadas à abertura e prontidão ao diálogo – são predicados que evidenciam o quanto tem a contribuir com a construção da jurisdição eleitoral”, disse.

Sérgio Banhos recebeu a sua posse às vésperas do ano eleitoral de 2018 como um grande desafio. “É uma honra e sempre um desafio assumir tão importante cargo, nesse momento de tantas transformações, onde a sociedade espera respostas e onde o Legislativo está a encerrar um processo para definir novas regras [eleitorais]”. Ele lembrou o papel que os ministros oriundos da advocacia têm realizado no TSE nos últimos biênios. “É um desafio também dar continuidade a um trabalho que é feito por advogados muito sérios, que abrilhantaram esta Casa. Espero, com fé, com bom senso e com prudência eu possa cumprir esse mister”, concluiu.

Repercussão

O ministro Admar Gonzaga, que recentemente assumiu a vaga de ministro titular da Corte Eleitoral, deixando a vaga hoje assumida por Sérgio Banhos, vê a indicação do colega advogado como uma contribuição valiosa à Justiça Eleitoral. “É  um homem muito preparado na ciência do Direito. Vem da Academia, é procurador do Distrito Federal e tem larga experiência em Direito Eleitoral. É afeito à colegialidade, uma pessoa serena, preparada, tranquila, prudente. Ele possui todos os predicados para ser um grande ministro”, saudou.

A posse de Sérgio Banhos também foi saudada pelo ministro Tarcísio Vieira de Carvalho Neto que, ao lado de Admar Gonzaga, também representa a classe dos advogados na Corte Eleitoral. “A escolha do ministro Sérgio Banhos como ministro-substituto é uma escolha indiscutivelmente boa para o Tribunal. Ele tem larga experiência na advocacia eleitoral e na produção de trabalhos doutrinários acerca do tema. Ele tem uma contribuição efetiva e real a dar ao TSE”, disse.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) foi representada pelo advogado Marcus Vinícius Furtado Coêlho, para quem Sérgio Banhos é um jurista com o currículo necessário para desempenhar a função de magistrado substituto da Corte Eleitoral. “Ele possui um currículo muito amadurecido, tanto na advocacia privada como na advocacia pública. É também professor, tem mestrado, doutorado, uma larga experiência no Direito Eleitoral, uma atuação que faz com que ele seja credenciado a representar com distinção e com louvor a classe dos juristas no TSE”. Segundo ele, a pluralidade de pontos de vista que se registra no Tribunal, que conta com ministros dos Supremo Tribunal Federal (STF), do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e da advocacia, é uma da principais riquezas da Justiça Eleitoral.

Currículo

Sérgio Silveira Banhos é mestre e doutor em Direito do Estado pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) e mestre em Políticas Públicas pela Universidade de Sussex, Inglaterra. É procurador do Distrito Federal e especialista em Direito Eleitoral. Ele também é vice-presidente do Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral (Ibrade) desde 2015.

RG

Fonte Oficial: http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2017/Agosto/tse-empossa-sergio-banhos-como-ministro-substituto.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Por meio de resoluções, TSE orienta serviços internos e regulamenta a legislação — Tribunal Superior Eleitoral

A principal função da Justiça Eleitoral (JE) é cuidar da organização das eleições e trabalhar …