Curitiba/PR: Especiarias e cestas de café da manhã atraem fregueses ao Varejão Popular

Os hortifrutigranjeiros são o carro-chefe do Varejão Popular do Capão Raso. Mas o espaço, administrado pela Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (Smab), também oferece outros produtos e serviços para os cerca de sete mil fregueses diários. 

Vistosas, as variedades de alho são os produtos mais vendidos na banca de especiarias, conversas e compotas de Sirlene Santos, 36 anos. “Dá para fazer sopa ou assar como entrada, principalmente o alho-porró, ou incrementar o sabor de um prato durante o preparo com o roxo”, indica a comerciante, que também oferece alimentos artesanais, como pimentas, mel, óleo de dendê e conservas de raiz forte, quiabo, batatinha e cebolinha. “Aqui a gente tem todo um cuidado com a qualidade e a procedência, pois temos como clientes chefs, cozinheiros e fregueses que amam fazer uma comidinha diferente”, observa Sirlene.

Curiosamente, os belos arranjos de rosas e de orquídeas não são, atualmente, os itens mais procurados na floricultura do Varejão. O que vem atraindo cada vez mais clientes para o local são as cestas de café da manhã, que, é claro, também podem vir acompanhadas de um elaborado buquê. Funcionária da banca, Mari Santos, 19 anos, conta que as cestas são formadas, normalmente, por 30 itens, entre cookies, bolachas, cereais, chocolates e outras guloseimas. “Além disso, o cliente pode optar por uma versão com caneca, para presentear um parente ou um amigo; ou uma romântica, que traz duas taças com espumante”, acrescenta a jovem. A floricultura também comercializa terrários, sementes e mudas.

Geladas e chorinho

Entre as centenas de rótulos de cachaças, vinhos e uísques, as de cerveja gourmet são as mais disputadas pelos fregueses do empório de Annete Broch, 48 anos. Ela conta que não faltam opções fabricadas na capital, como a República de Curitiba, a Klein, a Biertuck e a Bier Hoff, bem como as clássicas belgas trapistas (feitas por monges dos mosteiros trapistas), como a Trappístes Rochefort; e aquela que é considerada a mais forte do mundo, a austríaca Eggenberg Samichlaus. “Temos clientes fieis de cerveja, que representam 70% das nossas vendas”, revela Annete.  No box, também é possível comprar massas e molhos italianos, geleias dinamarquesas e chocolates poloneses.

À frente da banca de caldo de cana e água de coco desde a inauguração do Varejão, há 25 anos, Rut Rolinski, 62 anos, conquistou uma clientela cativa por conta da qualidade dos produtos e do atendimento caloroso. “Tem pessoas que eu vi crescer e que são meus clientes até hoje”, recorda ela. Dona Rut revela que muitos fregueses fazem um pedido diferente: misturar o caldo de cana e a água de coco. “No começo, eu achei que ficaria estranho, mas não é que fica muito gostoso? Sem falar que é muito saudável”, afirma a comerciante, que é famosa no local por sempre garantir aos fregueses um “chorinho” das duas bebidas, que ela faz questão de estarem bem geladas.

Integração

Localizado dentro do Shopping Popular, no Novo Mundo, o Varejão Capão Raso completou 25 anos em 2017 e tem dois outros grandes atrativos. “Quem vai ao Varejão pode também ir ao Armazém da Família (que atende famílias com até cinco salários mínimos) e usufruir da integração com o Terminal do Capão Raso. A pessoa pode sair do terminal, validar o cartão transporte ou pegar uma ficha, fazer compras por duas horas e depois voltar para o terminal sem pagar outro bilhete”, salienta José Carlos Koneski, diretor do Departamento de Abastecimento da Smab, responsável pelo Varejão.

Koneski lembra ainda que, além das bancas que vendem hortifrutigranjeiros diariamente, nas sextas-feiras e sábados produtores da Grande Curitiba se unem aos demais permissionários e ocupam cinco bancas para vender frutas e hortaliças direto da roça.

O Varejão Capão Raso, que conta 17 bancas e boxes, funciona de segunda-feira a sábado (fecha aos domingos).

 


Como usufruir da integração do Shopping Popular/Varejão/Armazém da Família com o Terminal do Capão Raso:

1 – Passe o cartão transporte no validador na saída do terminal (caso tenha pago em dinheiro o bilhete, também é possível identificar-se e pegar uma ficha).

2 – Depois de entrar no shopping, vá ao validador da Urbs instalado no corredor dos Correios e passe novamente o cartão. A pessoa tem dez minutos para fazer isso a partir do momento que saiu do terminal.

3 – Após a validação, o consumidor tem um período de duas horas para fazer as compras e regressar ao Terminal sem pagar outra passagem. Caso tenha pego uma ficha, ela deve ser devolvida.


Serviço: Varejão Capão Raso

Endereço: Avenida República Argentina, 5.259, anexo ao Shopping Popular, no Novo Mundo.

Horário: de segunda à sábado, das 9h às 19h (não abre aos domingos). O shopping fica aberto até às 21h.

Estacionamento: R$ 3 por hora com 134 vagas.

Fonte Oficial: http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/especiarias-e-cestas-de-cafe-da-manha-atraem-fregueses-ao-varejao-popular/43255.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Curitibinhas discutem educação no trânsito e uso da bicicleta – Prefeitura de Curitiba/PR

Estudantes do 5° ano da Escola Municipal Sady Souza, no Sítio Cercado, vão percorrer as …