Ouvidoria da mulher passa a integrar presidência da República — Portal Brasil

Órgão que cuidava do assunto passa a se chamar Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres


por Portal Brasil


publicado:
31/08/2017 12h13


última modificação:
31/08/2017 12h13

A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (antiga SPM) integra, agora, a Secretaria de Governo da Presidência da República e passa a ser denominada de Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres. A ouvidoria do órgão, portanto, também foi incorporada à Ouvidoria da Presidência da República.

Qualquer pessoa física ou jurídica pode registrar manifestação a respeito das ações e políticas da secretaria, bem como de assuntos referentes à legislação, direitos e serviços da rede de atendimento à mulher vítima de violência.

Para recebimento dessas manifestações, a Presidência da República aderiu ao Sistema de Ouvidorias do Poder Executivo Federal (e-Ouv), desenvolvido pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU) e utilizado por diversos órgãos e entidades.

Como registrar manifestações

Acesse o site do Palácio do Planalto e clique em Ouvidoria no menu superior direito. Em seguida, basta selecionar o tipo de manifestação que se pretende registrar – denúncia, elogio, solicitação, sugestão e reclamação – selecionar o órgão Presidência da República, o assunto desejado, e clicar no botão avançar. Na sequência, preencha os campos e conclua sua manifestação.

A Ouvidoria garante sigilo à identidade do cidadão e às demais informações pessoais. As manifestações são encaminhadas aos órgãos de apuração sem o nome do cidadão, sempre que solicitado.

O atendimento também ocorre presencialmente de segunda a sexta-feira no Palácio do Planalto, Anexo III, Ala B, sala 210, das 8h às 12h e das 14h às 18h.

 

Fonte: Portal Brasil, com informações do Palácio do Planalto

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/Rss-CidadaniaEJustia/~3/x_KhmbJLS9U/ouvidoria-da-mulher-passa-a-integrar-presidencia-da-republica.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

TJSP – Suspensão de prazos e do atendimento ao público na 17ª Vara Cível do Foro Central – João Mendes Júnior – AASP

COMUNICADO Nº 155/2020 A Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo COMUNICA …