OAB >> OAB cobra dos órgãos de controle financeiro apuração rigorosa dos escândalos recentes

Nota

A sucessão de escândalos, que há três anos incorporou-se dramaticamente à rotina do país, indica, mais que um quadro de degradação moral e institucional, a inoperância dos órgãos de controle do Estado. Trata-se de um escândalo dentro do escândalo.

O cidadão-contribuinte, que paga a conta de tais desmandos, não entende como quantias estratosféricas circularam no sistema bancário, com frequência e desenvoltura, sem que os órgãos incumbidos de monitorá-las tenham cumprindo esse dever elementar.

Se o tivessem cumprido, tais aberrações não teriam assumido as proporções a que assistimos, levando o país à maior crise política, econômica e moral de sua história.

Os mecanismos de controle existem e o correntista comum a eles se submete, enfrentando muitas vezes excessivo rigor burocrático. O mesmo, porém, não ocorreu em relação aos criminosos de colarinho branco, como tem testemunhado a população brasileira, no curso das investigações da Lava Jato e tantas outras.

Como se explica o trânsito de malas e malas com dinheiro vivo, na escala dos milhões, como as encontradas no apartamento do ex-ministro Geddel Vieira Lima? Sabe-se que o saque bancário, além de determinado limite, exige esclarecimentos, que os titulares daquelas fortunas não prestaram. O país exige essa explicação.

O depoimento do ex-ministro Antonio Palocci e os inacreditáveis áudios de Joesley Batista, da J&F, revelam que contaram com a cumplicidade de operadores no âmbito do Estado e do sistema financeiro. E não apenas: segundo a Procuradoria Geral da República, sob o comando da própria Presidência da República. Nada menos que três ex-presidentes estão denunciados ao STF, por, entre outros delitos, corrupção passiva e formação de quadrilha.

Jamais se viu nada igual!

Sem que tudo isso se esclareça, e com urgência máxima, o manto da suspeição continuará a cobrir o conjunto das instituições do Estado, o que é trágico para a democracia brasileira.

Claudio Lamachia

Presidente nacional da OAB

Fonte Oficial: http://www.oab.org.br/noticia/55541/oab-cobra-dos-orgaos-de-controle-financeiro-apuracao-rigorosa-dos-escandalos-recentes.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

OAB recebe representantes da AGU, Caixa e Banco Central para discutir acordo dos planos econômicos – OAB

O presidente nacional da OAB, Felipe Santa Cruz, se reuniu, nesta quarta-feira (5), com representantes …