Câmara Municipal de São Paulo Agenda da Câmara prevê sete premiações institucionais no primeiro semestre

DA REDAÇÃO

A programação de 2018 começa em março com o Prêmio Coronel Hélio Barbosa Caldas, criado para reconhecer anualmente cinco bombeiros que realizaram atos heroicos à população na cidade.

O coronel Hélio Barbosa Caldas (1935-1999), que dá nome à premiação, se destacou nas operações de resgate de vítimas dos maiores incêndios na cidade: o Joelma, em 1974, no qual o prédio da Câmara Municipal de São Paulo serviu como hospital para feridos; e o Andraus, em 1972.

Criada em 2009 pela Resolução 6/2009, de iniciativa do então vereador Goulart, a honraria faz referência ao aniversário da criação do Corpo de Bombeiros na capital paulista (10/3). As indicações dos nomes são feitas pelo Comando Geral da Polícia Militar.

Outro destaque do mês é o ‘Sabotage’, em homenagem a um dos maiores ícones do rap brasileiro. A ideia é valorizar quem se sobressaiu no cenário do hip hop nacional nas categorias: Disk Jockey (DJ), Mestre de Cerimônia, Grafiteiro e Dançarino ou Dançarina (Break Boy/Girl). As divisões correspondem aos quatro elementos que compõem a cultura artística de rua: o canto, a música, o desenho e a dança.

Criada pela Resolução nº 2/2008, a partir de um projeto da vereadora Soninha (PPS), a premiação é concedida pela Comissão Extraordinária Permanente dos Direitos da Criança, do Adolescente e da Juventude da Câmara durante a ‘Semana do Hip Hop’.

O ato menciona “a importância do movimento processo de inclusão social, musical e cultural e a sua inserção junto aos jovens nas grandes cidades, influenciadas no seu berço que é a cidade de São Paulo” e reconhece “o significado do rapper Sabotage como protagonista no cenário cultural e musical”.

O músico Mauro Mateus dos Santos, o Sabotage lançou um álbum que marcou a história do hip hop nacional, “O rap é compromisso”. Ele morreu assassinado em 2003, aos 29 anos.

E para fechar o mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, a Câmara promove a entrega do ‘Prêmio Heleieth Saffioti’, que tem o objetivo de dar visibilidade a mulheres ou entidades que tenham se destacado em ações de combate à discriminação social, sexual, racial e na defesa dos direitos femininos.

As premiadas são escolhidas por uma comissão julgadora formada por representantes da Comissão de Direitos Humanos e da Comissão de Saúde, Promoção Social, Trabalho e Mulher.

Também participam da escolha o Núcleo Especializado de Promoção e Defesa dos Direitos da Mulher da Defensoria Pública paulista, da União de Mulheres de São Paulo, do Centro Informação Mulher, da Marcha Mundial das Mulheres e da Articulação Popular e Sindical de Mulheres Negras.

O nome do prêmio é um reconhecimento à pesquisadora, escritora e militante Heleieth Iara Bongiovani Saffioti (1934-2010). Formada em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), Heleieth via a luta pelos direitos femininos como um meio de combate a todas as formas de opressão.

Criado em 2012, nos 80 anos de instauração do voto feminino, o Projeto teve iniciativa da vereadora Juliana Cardoso (PT) e foi instituído pela Resolução 2/2012.

Ainda no primeiro semestre (23/4), a Câmara realiza a entrega do ‘Prêmio Escotista Mário Covas Júnior’. A criação da honraria foi inspirada pela Lei Escoteira, que determina que seus integrantes estejam sempre dispostos a ajudar o próximo e a praticar ao menos uma boa ação por dia.

A intenção é valorizar pessoas ou instituições que se destacam na prática de ações voluntárias em prol da infância e da juventude, no desenvolvimento de iniciativas para estimular ações de educação e no incentivo ao movimento escoteiro.

Os homenageados são indicados pela Comissão Municipal de Movimento Escoteiro Bandeirante (Comeb) e ratificados pela Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara.

O Prêmio existe desde 2003, por meio da Resolução 2/2003, de autoria do vereador Gilson Barreto (PSDB). O nome faz alusão ao ex-governador e ex-prefeito de São Paulo, Mário Covas, que permitiu que os escoteiros usassem espaços públicos, principalmente parques, para realizar suas atividades.

Em junho, a agenda de premiações começa com um evento em homenagem a pessoas, físicas ou jurídicas, que tenham contribuído para o surgimento de inovações tecnológicas voltadas à preservação do meio ambiente.  O Prêmio Responsabilidade Ambiental foi criado em 2011 pela Resolução 2/2011. O Projeto é do vereador Gilberto Natalini (PV).

A comissão julgadora é formada por representantes da Ordem dos Advogados do Brasil/Seção São Paulo, do Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, da Associação Comercial de São Paulo, da Associação Paulista de Medicina, do Conselho Regional de Economia, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, da Revista Meio Ambiente Industrial e de um sindicato de trabalhadores indicado pelas centrais sindicais.

Na última semana de junho (22/6), o Prêmio Milton Santos reconhece pessoas físicas, jurídicas e grupos informais que promovam formas locais de organização e desenvolvimento social na cidade.

Podem concorrer projetos de dois tipos: que propiciem a consolidação e ampliação de direitos territoriais e culturais ou que trabalhem o território como instância política.

A escolha dos vencedores cabe à comissão julgadora composta por entidades ligadas às áreas de desenvolvimento social e urbano, cultura, economia e administração e finanças públicas.

A honraria foi criada em 2002 por meio da Resolução 6/2002, a partir de um projeto do então vereador Nabil Bonduki, que foi aluno do professor Milton Santos.

Doutor honoris causa por universidades do Brasil, França e Espanha, Milton Santos (1926-2001) recebeu, em 1994, o Prêmio Internacional Vautrin Lud, na França, considerado o ‘Nobel’ da Geografia.

O acadêmico defendia a ideia de que as formas locais de organização social consolidam a cidadania como instituição e auxiliam na construção de um projeto coletivo de transformações estruturais, que podem não apenas reduzir as desigualdades sociais, mas abrem a possibilidade de eliminá-las.

Para fechar o semestre, a Câmara promove o Prêmio Chico Xavier, destinado a pessoas ou entidades com destaque em ações solidárias, de estímulo à elevação espiritual e à harmonia entre os indivíduos.

O nome presta uma homenagem a Francisco Cândido Xavier (1910-2002), propagador do espiritismo, responsável por livros que venderam mais de 25 milhões de exemplares, com toda a renda revertida a instituições de caridade.

Com entrega prevista, neste ano, para o dia 25 de junho, o prêmio nasceu em 2013, com a Resolução 8/2013, a partir de um projeto assinado por um coletivo de veradores, entre eles: Milton Leite (DEM), Eliseu Gabriel (PSB), Arselino Tatto (PT) e Paulo Frange (PTB).

Prêmios Institucionais

Os prêmios institucionais da Câmara Municipal de São Paulo têm como objetivo servir de incentivo para ações, projetos ou empreendimentos que contribuam para o desenvolvimento da cidadania, da qualidade de ensino e da divulgação do potencial da capital paulista.

Honrarias

No primeiro semestre, o calendário institucional da Câmara também prevê a realização de honrarias como a “Medalha Tiradentes” (20/4), destinada aos policiais civis, militares e guardas civis metropolitanos que mais se destacaram em ações benéficas à população paulistana.

Já o Colar Guilherme de Almeida (29/6) é concedido anualmente a, no máximo, nove pessoas físicas e jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham colaborado com a cultura, nas suas diferentes áreas: literatura, cinema, teatro, música, artes plásticas e outras formas artístico-culturais de manifestação, bem como à preservação e à divulgação da história da cidade de São Paulo.

A primeira honraria será entregue no Dia Internacional da Mulher (8/3) em homenagem às vereadoras em exercício na Casa.

Veja abaixo o calendário completo de prêmios e honrarias previstos para este primeiro semestre no Legislativo paulistano:

Prêmio/Honraria Vereadores Data Quem participa
Dia Internacional da Mulher Maeli Vergniano, Myryam Athie, Ana Maria Quadros, Aldaíza Sposati, Maria Helena Fontes, Lídia Correa e Ana Martins 8/3 Mulheres de destaque, indicadas pelos vereadores.
Coronel Hélio Barbosa Caldas Goulart 12/3 Bombeiros que mais se destacaram por atos heroicos à população da Cidade de São Paulo.
Heleieth Saffioti Juliana Cardoso 26/3 Farão jus ao prêmio as mulheres ou entidades de mulheres que tenham se destacado em ações de combate à discriminação social, sexual ou racial e na defesa dos direitos das mulheres no município de São Paulo.
Sabotage Soninha 20/3 Farão jus ao Prêmio Sabotage pessoas que tenham se destacado na cenário do
Hip Hop, nas seguintes categorias:
I – Melhor Disk Jockey (DJ); II – Melhor Mestre de Cerimônia (MC); III – Melhor Grafiteiro;
IV – Melhor Dançarino (Break Boy).
Medalha Tiradentes William Woo 20/4 Policiais civis, militares e guardas civis metropolitanos que mais se destacarem em ações benéficas à população paulistana.
Escotista Mário Covas Júnior Gilson Barreto 23/4 Pessoas físicas ou jurídicas que se destaquem na prestação de ações voluntárias em prol da infância e da juventude, incorporando ações educacionais não-formais que promovam o exercício e a propagação dos conceitos de cidadania e difusão dos valores morais e cívicos na Cidade de São Paulo
Responsabilidade Socioambiental Natalini 08/6 Pessoas físicas ou jurídicas que tenham contribuído para o surgimento de inovações tecnológicas orientadas à preservação, qualificação e o respeito ao meio ambiente, aplicadas à gestão ambiental.
Milton Santos Nabil Bonduki 22/6 Pessoas físicas, grupos informais ou pessoas jurídicas que propiciem a ampliação de direitos territoriais e culturais, além de projetos que resultem em novas formas de solidariedade social (promoção da saúde, estímulo à arte e à cultura, fomento à geração de renda, inclusão social, entre outros).
Chico Xavier Rubens Calvo, Eliseu Gabriel, Alcides Amazonas, Milton Leite, Wadih Mutran, Ricardo Montoro, José Mentor, Paulo Frange, Farhat, Antonio Carlos Rodrigues, Havanir Nimtz, Domingos Dissei, Arselino Tatto e Raul Cortez 25/6 Pessoas físicas ou jurídicas que tenham se destacado por atitudes de fraternidade e solidariedade, por atos e obras de estímulo à elevação do espírito humano e por ações que propiciarem o engrandecimento e a harmonia nas relações entre indivíduos em sociedade.
Colar Guilherme de Almeida Reis, Nomura e Toninho Paiva 29/6 Concedido anualmente a, no máximo, 9 (nove) pessoas físicas e jurídicas, nacionais ou estrangeiras, que tenham prestado valiosa colaboração à literatura, ao cinema, ao teatro, à música, às artes plásticas e a outras formas artístico-culturais de manifestação, bem como à preservação e à divulgação da história da cidade de São Paulo.

 

Fonte Oficial: http://www.camara.sp.gov.br/blog/agenda-da-camara-preve-sete-premiacoes-institucionais-no-primeiro-semestre/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Câmara homenageia desembargador Paulo Dimas

Atualizado em (18/12/2018 – 15h07) | Geral, Notícias, Sessão Solene …