Advogada sócia de escritório tem vínculo de emprego reconhecido – Migalhas

Condição formal de advogada como sócia ou associada não impede reconhecimento de relação de emprego. Assim entendeu a 1ª câmara do TRT da 12ª região ao reconhecer o vínculo entre uma advogada e um escritório de advocacia. Para o colegiado, ficou demonstrado que a causídica não tinha autonomia e atuava de forma subordinada, situação que evidencia a relação de emprego.

O vínculo já havia sido reconhecido no 1º grau. A partir do depoimento de três testemunhas, a advogada conseguiu comprovar que ingressou no escritório por processo seletivo e que teve de concordar com a mudança de seu status para “advogada associada” e, posteriormente, “sócia”, sob pena de ser demitida.

A troca, no entanto, não gerou qualquer alteração na remuneração e nas atividades da profissional, que, mesmo como sócia, não tinha acesso à contabilidade do escritório e, durante três anos, só participou de reuniões sobre metas da equipe.

O relato das testemunhas também confirmou que a advogada atuava de forma estritamente subordinada a uma coordenadora do escritório, que era responsável por autorizar o contato dos advogados com os clientes e aprovar o fechamento de acordos, além de receber cópias de todos os e-mails da equipe. Segundo a advogada, durante todo o período de trabalho, ela não chegou a assinar sequer uma peça jurídica.

Ao julgar o recurso da banca, a desembargadora Viviane Colucci, relatora do acórdão, classificou como flagrante a falta de autonomia da advogada e destacou que a absoluta falta de ingerência da sócia nos rumos do empreendimento evidencia uma típica relação de emprego. Na avaliação da magistrada, o fato de a advogada receber participações nos lucros e ter concordado com a mudança no contrato não permitem concluir que a relação constituía, de fato, uma sociedade.

“Estando evidenciado nos autos que a autora não possuía autonomia na consecução dos seus serviços junto à sociedade de advogados, sua condição formal de associada e, posteriormente, de sócia do réu não obsta o reconhecimento da relação de emprego entre as partes, em atenção ao princípio da primazia da realidade. Com efeito, ficou comprovado nos autos que as determinações do réu perante a autora não se tratavam de meras diretrizes societárias, mas de típica subordinação jurídica.”

Veja o acórdão.

Fonte Oficial: http://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI280221,71043-Advogada+socia+de+escritorio+tem+vinculo+de+emprego+reconhecido.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Aeroporto de Brasília cancela 40 voos por falta de combustível; confira quais são eles – Congresso em Foco

EBC Crise dos combustíveis ganhou asas com o desabastecimento dos aviões Sem a chegada de …

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!