Pode ou não pode: demitir empregado com deficiência e não substituí-lo por profissional em condição semelhante

                         Baixe o áudio
      
 

(Qui, 17 Mai 2018 14:14:00)

APRESENTADOR: A inserção de pessoas com deficiência no mercado de trabalho ainda é um desafio no Brasil. Mas leis específicas referentes à acessibilidade buscam reduzir a desigualdade. 

A lei 8.213 de 1991 determina que empresas com cem ou mais empregados são obrigadas a  preencher de 2% a 5% dos cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas com deficiência. 

Em Pernambuco, uma empresa da construção naval foi acionada na justiça por um ex-empregado com deficiência que solicitou indenização compensatória. Ele foi demitido sem justa causa e o empregador não o substituiu por alguém em condição semelhante. O profissional alegou que a companhia descumpriu a legislação, uma vez que não manteve alguém que cumprisse os requisitos para a vaga. Mas será que a empresa é obrigada a substitui-lo por outra pessoa com deficiência ou condição semelhante? Quem traz a resposta é Michelle Chiappa. 

REPÓRTER: O profissional havia conseguido novo emprego e, por isso, não pediu reintegração ao antigo posto e, sim, indenização compensatória correspondente aos salários do período compreendido entre a demissão e a reinserção no mercado de trabalho.

Em primeiro grau, o juízo da 3ª Vara do Trabalho de Ipojuca deu razão ao ex-empregado argumentando que embora o artigo 93 da lei 8.213 de 1991, não crie uma estabilidade direta para o empregado deficiente, acaba por ter este efeito de forma indireta, na medida em que a lei só permite a dispensa de um empregado com a prévia contratação de outro em condição semelhante.

A empresa entrou com recurso no Tribunal Regional do Trabalho em Pernambuco, que manteve a sentença. Dessa forma, a empresa deve pagar indenização compensatória ao ex-empregado.

APRESENTADOR: Ou seja: demitir empregado com deficiência e não substituí-lo por profissional em condição semelhante…

NÃO PODE!

 

Roteiro: Filliphi da Costa
Apresentador: Rafael Silva

 
O programa Trabalho e Justiça vai ao ar na Rádio Justiça de segunda a sexta, às 10h50.
 
Trabalho e Justiça 
Rádio Justiça – Brasília – 104,7 FM
Esta matéria tem caráter informativo, sem cunho oficial.
Permitida a reprodução mediante citação da fonte.
Coordenadoria de Rádio e TV
Tribunal Superior do Trabalho
Tel. (61) 3043-4264
crtv@tst.jus.br

Fonte Oficial: http://www.tst.jus.br/web/guest/noticias?p_p_id=89Dk&p_p_lifecycle=0&refererPlid=10730&_89Dk_struts_action=%2Fjournal_content%2Fview&_89Dk_groupId=10157&_89Dk_articleId=24581273.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Cooperativa compensará valores pagos de condenação por atraso no pagamento de férias

document.write(‘Seguir‘); !function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”); Caso contrário, a empresa pagaria três vezes. A Sexta Turma do Tribunal …