Gestão de resíduos é um dos temas no último dia do seminário – STJ

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) promoveu entre terça e quarta-feira (12 e 13) uma série de palestras com a finalidade de discutir qualidade, eficiência e sustentabilidade na administração pública. No V Seminário de Planejamento Estratégico Sustentável do Poder Judiciário, autoridades, gestores e convidados debateram desafios, estratégias e modelos para um bom funcionamento das instituições.

O ministro do STJ Herman Benjamin conduziu o painel “Responsabilidade Compartilhada na Gestão de Resíduos no Poder Público”. Acompanhado do assessor da Procuradoria-Geral da República (PGR) Frederico Ribeiro e do auditor de controle externo do Tribunal de Contas da União (TCU) Carlos da Costa, o ministro destacou a necessidade de políticas públicas efetivas e de conscientização da população sobre a destinação e o tratamento adequado dos resíduos descartados, tanto nas residências, quanto nas empresas e nos órgãos públicos.

“Se existe hoje uma pauta da proteção ambiental que dispensa apresentação, ou justificativas, é a do tratamento de resíduos. O fato de nós, consumidores, não fazermos a nossa parte, não retira do poder público, como agente de responsabilidade compartilhada, a obrigação de atuar”, frisou o magistrado.

Segundo o ministro, o assunto não é novo, vem sendo tratado pelo direito há muito tempo – “normas que são fruto do convívio desarmônico do ser humano com resíduos e vetores biológicos que não deveriam estar próximos de nós”.

Em relação ao descarte insensato de resíduos, Herman Benjamin observou que, às vezes, a implantação de uma solução imediata pode desencadear um problema de maior dimensão ou mais complexo. “Não se trata apenas de remover resíduos e jogar em algum lugar, mas de dar tratamento adequado”, concluiu.

ODS

A abertura do segundo dia do encontro foi conduzida por Regina Cavini, oficial sênior do programa das Nações Unidas para o meio ambiente , com a palestra “Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), Agenda 2030 e o Projeto SPELL”.

Segundo Regina Cavini, em ligação à Agenda 2030, os ODS estão sendo vinculados aos compromissos existentes de sustentabilidade. “Não é apenas responsabilidade dos governos buscar o desenvolvimento sustentável. Ele é uma meta, um modelo e o ideal que devem ser buscados por toda a sociedade’’, frisou a palestrante.

A representante da ONU caracterizou o sistema integrado, unindo o desenvolvimento social, econômico e ambiental. “Na Rio+20, percebeu-se que não é possível falar de conservação ambiental sem falar da necessidade do crescimento econômico e de minimizar os programas de desigualdades sociais existentes no mundo’’, explicou.

Para ela, não se trata de parar de produzir, mas de saber utilizar os materiais, “usando menos e fazendo mais”.

Novas tecnologias

Na palestra seguinte, o secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superior Eleitoral, Giuseppe Janino, abordou o tema “Sustentabilidade e Inovações Tecnológicas no TSE”. Ele falou sobre a contribuição das políticas adotadas pelo órgão na preservação do meio ambiente.

Entre outras iniciativas tecnológicas, citou as eleições sustentáveis; os processos em plataforma digital, a exemplo do SEI, PJE e título eleitoral; e as instalações incorporadas ao prédio, atendendo às exigências ambientais e ecológicas. Por fim, o secretário destacou a redução de gastos no tribunal por meio da reutilização de materiais de consumo e expediente.

O desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) Jorge Maluf palestrou em seguida, apresentando um caso prático de gestão sustentável denominado Ecoliga do Maranhão. Trata-se de uma ação integrada, envolvendo órgãos públicos federais e universidades, voltada à sustentabilidade no poder público maranhense. O projeto abrange desde a compra compartilhada de material até a logística de veículos envolvida no seu transporte.

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/STJNoticias/~3/Z4guYYfVNaU/Gest%C3%A3o-de-res%C3%ADduos-%C3%A9-um-dos-temas-no-%C3%BAltimo-dia-do-semin%C3%A1rio.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Terceira Turma aplica regra de planos de saúde individuais a plano contratado por microempresa familiar – STJ

Em julgamento de recurso especial, a Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) não …

Quer fazer parte de nosso grupo?

Inscreva-se em nossa newsletter!