Comissão aprova incentivo para importação de bens destinados à pesquisa científica – Câmara Notícias

Comissão aprova incentivo para importação de bens destinados à pesquisa científica

Fabio Souza recomendo a aprovação sugerindo a exclusão das empresas de pequeno porte de base tecnológica do desembaraço aduaneiro acelerado

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática aprovou nesta quarta-feira (11) o Projeto de Lei 297/15, do deputado João Fernando Coutinho (Pros-PE), que acelera o processo de liberação alfandegária dos bens importados destinados à pesquisa científica e tecnológica, como matérias-primas, máquinas e instrumentos.

Esses bens terão licenciamento, desembaraço aduaneiro e liberação automáticos, imediatos e livres de taxas de qualquer natureza, independente do valor declarado. O projeto altera a Lei 8.010/90, que isentou de tributos os produtos importados utilizados em pesquisas.

A proposta recebeu parecer favorável do relator na comissão, deputado Fábio Sousa (PSDB-GO). Ele recomendou a aprovação, com alguns ajustes, da versão acolhida em 2015 na Comissão de Seguridade Social e Família. Uma das mudanças feitas por Sousa nesse texto foi a exclusão das empresas de pequeno porte de base tecnológica do desembaraço aduaneiro acelerado. Para ele, isso “ampliaria, em demasia, os agentes que poderiam usufruir dos benefícios”.

Cadastro dos credenciados
A versão aprovada nesta quarta determina que o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) manterá um cadastro nacional de cientistas, de pesquisadores, de Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) e entidades sem fins lucrativos credenciados pelo órgão para realizar as importações de itens destinados a pesquisas.

Os pesquisadores cadastrados poderão ingressar no País com insumos para pesquisas como bagagem acompanhada. Somente em caso de “suspeita fundamentada e de indícios consistentes de irregularidade” poderá ser aplicado o procedimento normal de inspeção física e documental. Por fim, a proposta não exime de responsabilidade o cadastrado por eventuais danos à saúde ou ao meio ambiente.

O deputado Fábio Sousa destacou a importância do processo simplificado de liberação dos produtos importados destinados à pesquisa cientifica e tecnológica. “A burocracia e a falta de tratamento diferenciado às importações de bens necessários para a consecução de pesquisas científicas são responsáveis não só por atrasos nos projetos, como também por perdas, às vezes irreparáveis, financeiras e, até, de recursos humanos nas instituições de pesquisa”.

Tramitação
O projeto será analisado agora, em caráter conclusivo, pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte Oficial: Câmara dos Deputados.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Comissão aprova habilitação para pessoas com deficiência conduzirem veículos adaptados – Câmara Notícias

Comissão aprova habilitação para pessoas com deficiência conduzirem veículos adaptados A Comissão de Defesa dos …