Vice-Presidência prorroga prazo para aceitação de proposta de acordo entre ECT e empregados

document.write(‘‘); !function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”);



O vice-presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Renato de Lacerda Paiva, prorrogou para 15/8 (quarta-feira) o prazo para que as federações que representam os empregados da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) se manifestem sobre a proposta de acordo apresentada por ele. O prazo concedido inicialmente se encerraria nesta quinta-feira (9).

Um dos principais pontos da proposta é a manutenção de todos os termos do acordo coletivo de 2017/2018. O deferimento do prazo leva em conta sua preocupação de que vantagens que garantidas no acordo anterior não caiam com o fim de sua vigência e de que o reajuste proposto seja incluído na próxima folha, que, conforme informado pela ECT, é fechada no dia 20.

Nesta quinta-feira (9), o ministro se reuniu com os representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) e da Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (Findect). Os dirigentes manifestaram dúvidas sobre pontos da proposta. Sobre o reajuste de 3,68%, o vice-presidente esclareceu que o índice incidirá sobre salários, benefícios e demais parcelas remuneratórias constantes do Acordo Coletivo de Trabalho 2017/2018.

Processo:  PMPP-1000562-40.2018.5.00.0000

Leia mais:

7/8/2018 – TST apresenta proposta de conciliação para evitar greve dos Correios

<!– –> var endereco; endereco = window.location.href; document.write(‘‘) <!—-> Inscrição no Canal Youtube do TST

Fonte Oficial: http://www.tst.jus.br/web/guest/noticias?p_p_id=89Dk&p_p_lifecycle=0&refererPlid=10730&_89Dk_struts_action=%2Fjournal_content%2Fview&_89Dk_groupId=10157&_89Dk_articleId=24630159.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Fazendeiros são condenados por manter trabalhadores em situação análoga à de escravos

document.write(‘Seguir‘); !function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(!d.getElementById(id)){js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”http://platform.twitter.com/widgets.js”;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}}(document,”script”,”twitter-wjs”); A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho decidiu, por unanimidade, condenar …