Serviço de apoio aos advogados funcionará em um único lugar – STJ

Para interligar os serviços que são oferecidos aos advogados na sede do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a sala de apoio a esses profissionais funcionará apenas no térreo do Edifício dos Plenários, a partir da próxima segunda-feira (17).

A desativação do posto avançado, que ficava no segundo andar do Prédio da Administração, representa mais comodidade para os advogados que rotineiramente acompanham as sessões de julgamento da corte e ainda utilizam a Central de Atendimento ao Cidadão – que se concentram no mesmo prédio.

E esse é apenas o primeiro passo. A ideia é reestruturar tanto o leiaute físico da sala dos advogados, para torná-la mais moderna, acessível, útil e confortável (praticamente um coworking), como incrementar os serviços que já são oferecidos.

O que está por vir

O objetivo da Secretaria Judiciária, que idealizou o projeto, é responder às demandas de forma mais eficaz, integrando o apoio aos advogados ao atendimento que já é prestado presencialmente (protocolo judicial e informações processuais).

Além disso, a mudança busca proporcionar a interação constante do STJ com os seus clientes, para levantar necessidades, pensar em novas soluções, transmitir informações por meio de sistemas e de treinamentos, bem como obter feedback constante para possíveis aprimoramentos.

A sala de apoio aos advogados funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, sem interrupções, com pessoal à disposição para receber os usuários. O local oferece estações de trabalho com computadores, mesa para reuniões, sofá, maleiro, água, café e acesso aos banheiros. A sala é de uso exclusivo dos advogados.

Mais informações pelo telefone 61 3319-8410 ou pelo e-mail informa.processual@stj.jus.br.

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/STJNoticias/~3/92HHq0BZEmo/Servi%C3%A7o-de-apoio-aos-advogados-funcionar%C3%A1-em-um-%C3%BAnico-lugar.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Cessão do direito litigioso antes da citação não afasta legitimidade ativa – STJ

A eventual cessão de direitos realizada pela parte autora entre o ajuizamento da ação e …