Lei assegura atendimento educacional para alunos internados para tratamento médico – Dizer o Direito

Olá amigos do Dizer o Direito,
Foi publicada hoje mais uma novidade legislativa.
Trata-se da Lei nº 13.716/2018, que altera a Lei de
Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).
A Lei nº 13.716/2018 acrescenta um artigo à LDB dizendo que
se o aluno da educação básica tiver que ser internado para fazer algum
tratamento de saúde, seja em regime hospitalar, seja em regime domiciliar, este
aluno deverá continuar recebendo atendimento educacional durante o período de
internação.
Veja a redação do dispositivo que foi inserido:
Art. 4º-A. É assegurado atendimento
educacional, durante o período de internação, ao aluno da  educação básica internado para tratamento de
saúde em regime hospitalar ou domiciliar por tempo prolongado, conforme
dispuser o Poder Público em regulamento, na esfera de sua competência
federativa.
O que significa educação básica?
A educação básica compreende a educação infantil, o ensino
fundamental e o ensino médio.
Como esse atendimento educacional pode ser prestado no hospital?
A doutrina especializada em pedagogia afirma que isso pode
ocorrer de várias formas. Exs: professores contratados pelo hospital, professores
cedidos pelas Secretarias de Educação, professores que estejam participando de projetos
de pesquisa e extensão ou então professores pertencentes aos projetos de
voluntariado.
O atendimento pode ser exclusivamente no leito ou em salas
de aula existentes nas unidades de internação.

Bonito exemplo de escola que funciona dentro do Hospital de Clínicas, em Curitiba. Foto: Luiz Costa/SMCS 

A previsão acima representa, de fato, uma novidade?
NÃO. Isso porque esse dever já consta na Resolução 2/2001,
da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação, que institui
diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Trata-se da
chamada “classe hospitalar”. Veja o que diz o art. 13 da referida Resolução:
Art. 13. Os sistemas de ensino,
mediante ação integrada com os sistemas de saúde, devem organizar o atendimento
educacional especializado a alunos impossibilitados de frequentar as aulas em
razão de tratamento de saúde que implique internação hospitalar, atendimento
ambulatorial ou permanência prolongada em domicílio.
§ 1º As classes hospitalares e o
atendimento em ambiente domiciliar devem dar continuidade ao processo de
desenvolvimento e ao processo de aprendizagem de alunos matriculados em escolas
da Educação Básica, contribuindo para seu retorno e reintegração ao grupo
escolar, e desenvolver currículo flexibilizado com crianças, jovens e adultos não
matriculados no sistema educacional local, facilitando seu posterior acesso à
escola regular.
§ 2º  Nos casos de que trata este Artigo, a
certificação de frequência deve ser realizada com base no relatório elaborado
pelo professor especializado que atende o aluno.
De qualquer modo, a alteração é positiva para garantir maior
segurança jurídica com a previsão expressa na própria LDB.
A Lei nº 13.716/2018 entrou em vigor no dia de hoje
(25/09/2018), data de sua publicação.

Fonte Oficial: https://www.dizerodireito.com.br/2018/09/lei-assegura-atendimento-educacional.html.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Comunidade quilombola recebe título definitivo de terra — Governo do Brasil

O território quilombola Peruana, localizado no município de Óbidos (PA), recebeu, na última quinta-feira (8), …