CDR aprova mais benefícios tributários para Indústrias da Zona Franca Verde — Senado Notícias

As indústrias instaladas na Zona Franca Verde poderão comprar máquinas, equipamentos e insumos com isenção do Imposto de Importação (II). É o que determina o Projeto de Lei do Senado (PLS) 68/2016, aprovado nesta quarta-feira (28) na Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo (CDR). A proposta seguiu para análise para a Comissão de Assuntos Econômicos, em caráter terminativo.

A Zona Franca Verde, criada em 2009 e regulamentada em 2015, engloba indústrias localizadas nas áreas de livre comércio de Tabatinga (AM), Macapá e Santana (AP), Guajará-Mirim (RO), Brasiléia e Cruzeiro do Sul (AC). Elas já têm isenção do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) para os manufaturados feitos com predominância de matérias-primas regionais. A lista inclui frutos, sementes, animais e madeiras, entre outros.

Durante a reunião, o senador Romero Jucá (MDB-RR) leu o parecer do senador Davi Alcolumbre (DEM-AP).

— [O projeto] define a direção e o mecanismo da vantagem tributária, exatamente aos equipamentos da Zona Franca Verde, que é extremamente importante para a produção limpa e condição de desenvolvimento sustentável — disse Jucá.

No texto, o autor da proposta, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), argumenta que, para se tornar “viável e efetiva”, a Zona Franca Verde precisa de mais incentivos ainda. Por isso, sugere a isenção do Imposto de Importação para os insumos, máquinas e equipamentos, permitindo assim que os produtores locais tenham condições mais favoráveis para a aquisição desses bens, para modernizar e ampliar seus centros de produção.

No relatório, o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP), defendeu que somente a isenção do IPI não garante a viabilidade da Zona Franca Verde. Este benefício fiscal apenas assegura aos estabelecimentos produtivos melhores condições de produção no que diz respeito ao uso de matérias-primas.

— É imprescindível garantir o aumento de produtividade por meio da modernização do parque industrial, como pretendido pelo projeto — defendeu.

O impacto orçamentário e financeiro da renúncia de receita decorrente da aprovação do projeto estava estimado em R$ 30,1 milhões em 2016 (quando foi apresentado o projeto), R$ 36,1 milhões em 2017, e R$ 43,3 milhões em 2018.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2018/11/28/cdr-aprova-mais-beneficios-tributarios-para-industrias-da-zona-franca-verde.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Rogério Carvalho critica proposta de reforma da Previdência — Senado Notícias

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) afirmou nesta segunda-feira (18), em pronunciamento no Plenário, que a …