Aprovado plano de recuperação judicial do Grupo Seara em mais de R$ 2,7 bi – Migalhas

Os credores do Grupo Seara se reuniram para deliberar sobre proposta de pagamento dos créditos sujeitos à recuperação judicial. Mais de R$ 2,7 bi serão pagos nos termos do plano de recuperação judicial, aprovado pela maioria dos credores.

O plano aprovado conta com instrumentos do direito recuperacional, tais como:

(1) Debtor-in-possession financing (Financiamento DIP);

(2) Criação de unidades produtivas isoladas – UPI’s – que poderão ser adquiridas pelos credores de classe II com garantia real sobre imóvel, a partir do lançamento do crédito como parte do valor a ser pago;

(3) implementação de gestão profissional do negócio, passando as sociedades empresárias a serem administradas pela empresa de consultoria estadunidense Alvarez & Marsal;

(4) criação subclasses de credores estratégicos, com a finalidade de atender a especificidade e necessidades de cada grupo de credores.

Em razão de o Grupo em Recuperação praticar a atividade de trading de grãos (intermediadora entre produtores locais e importadores de grãos), como principal atividade econômica, o plano prevê tratamento diferenciado com relação aos produtores rurais. Eles receberão seu crédito sem deságio em até 30 dias úteis, após a realização do financiamento DIP. Da mesma forma, a classe de credores trabalhistas possui tratamento privilegiado, recebendo em 30 dias úteis e sem deságio.

No que se refere a classe II, os credores foram divididos em credores com garantias reais elegíveis (aqueles que possuem garantia sob a forma de hipoteca e/ou alienação fiduciária sobre os ativos estratégicos) e os credores com garantias reais não elegíveis, sendo que os primeiros poderão utilizar seu crédito para lançar como parte do pagamento das UPI’s criadas pelo plano de recuperação judicial.

Destaque

O destaque do plano vai para a inserção de patrimônios que não estavam sob os efeitos da Recuperação Judicial. Tratam-se dos terminais Paranaguá e Portuário Seara, pessoas jurídicas pertencentes ao Grupo Seara, que serão vendidas na modalidade de UPI para a satisfação de dívidas dos credores.

A recuperação judicial do grupo foi conduzida pelo escritório A Santos Advogados Associados.

_____________




Fonte Oficial: https://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI296057,71043-Aprovado+plano+de+recuperacao+judicial+do+Grupo+Seara+em+mais+de+R+27.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

“Previdência será aprovada do jeito que o Maia quiser”, diz líder do PSL na Câmara – Congresso em Foco

As negociações do governo com líderes do Centrão – PP, PR, PRB, DEM e Solidariedade …