Confira o passo a passo para emitir a Guia de Recolhimento da União (GRU) para pagamento de multa eleitoral — Tribunal Superior Eleitoral

O eleitor que tem pendências com a Justiça Eleitoral em razão de multas recebidas pode emitir a Guia de Recolhimento da União (GRU) no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para quitar os débitos. As situações em que o eleitor deve se enquadrar para emitir a GRU são as seguintes: ausência a uma eleição sem apresentar justificativa eleitoral, sendo que cada turno representa um pleito específico; ausência aos trabalhos eleitorais e alistamento eleitoral intempestivo, conforme previsto no artigo 8º do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965).  

Como emitir a GRU

Para obter a guia, o eleitor deve acessar a aba “Eleitor e Eleições”, localizada na barra superior da página principal do portal, escolher a opção “Serviços ao Eleitor” e, depois, clicar em “Título de Eleitor”. Em seguida, deve acessar a opção Quitação de Multas, que possibilita a emissão da guia para saldar os débitos eleitorais.

Regularização

Ao ter em mãos o boleto,o eleitor deve efetuar o pagamento da multa em uma das agências do Banco do Brasil (a quitação pode ser feita também pelo aplicativo do banco). Logo após, o cidadão deve dirigir-se a um cartório eleitoral, de posse do comprovante de pagamento, a fim de regularizar sua situação eleitoral.

É importante destacar que o boleto emitido pelo serviço on-line apenas acelera o atendimento pessoal nos cartórios eleitorais, nos postos ou nas centrais de atendimento. A emissão e o pagamento do boleto não são suficientes para regularizar a situação junto à Justiça Eleitoral. Para efetivar essa regularização, o eleitor deve apresentar o respectivo comprovante no cartório eleitoral.

O valor constante do boleto é calculado conforme as regras fixadas nos parágrafos 2º a 4º do artigo 3º da Resolução-TSE nº 23.088, de 30 de junho de 2009. Assim, na hipótese de a autoridade judiciária eleitoral determinar o pagamento, no caso concreto, de valor superior ao constante do boleto emitido no serviço, a unidade de atendimento eleitoral emitirá nova GRU com a quantia a ser complementada para a quitação das multas a serem pagas pelo eleitor.

O eleitor pode consultar os endereços dos cartórios eleitorais nas páginas dos tribunais regionais eleitorais e também na página referente às zonas eleitorais no Portal do TSE.

Confira abaixo com mais detalhes as situações em que o eleitor deve emitir a GRU no Portal do TSE:

Ausência a uma eleição sem justificativa

Caso o eleitor tenha faltado a uma eleição, ele pode apresentar a justificativa eleitoral no dia do pleito ouem até 60 dias após cada turno. O eleitor que se encontrar no exterior pode apresentar o requerimento de justificativa no período de 30 dias contados da data do retorno ao Brasil.

Conforme dispositivos do Código Eleitoral (Lei nº 4.737/1965) e da Resolução TSE nº 21.538/2003, o eleitor que deixar de votar e não justificar em até 60 dias após a realização da eleição incorre em multa imposta pelo juiz eleitoral.

Ausência aos trabalhos eleitorais

O eleitor convocado como mesário e que não comparecer aos trabalhos eleitorais deve apresentar justa causa ao juiz eleitoral em até 30 dias após a eleição. Caso não o faça, está sujeito a multa aplicada pelo juiz na forma prevista do artigo 367 do Código Eleitoral. Se o faltoso for servidor público ou autárquico, a pena será de suspensão de até 15 dias. A pena pode ser aplicada em dobro se a mesa receptora não funcionar por culpa dos faltosos.

Para o mesário que abandonar os trabalhos no curso da votação sem justa causa, que deve ser apresentada ao juiz em até três dias após a eleição, a pena será aplicada em dobro.

Alistamento eleitoral intempestivo

O brasileiro nato que não se alistar até os 19 anos ou o cidadão naturalizado que não se alistar até um ano depois de adquirida a nacionalidade brasileira também incorre em multa imposta pelo juiz eleitoral, cobrada na forma do artigo 8º do Código Eleitoral. A multa não é dada a quem requerer a inscrição eleitoral até 151 dias antes do pleito subsequente à data em que completar 19 anos, de acordo com o artigo 8º do Código Eleitoral e o artigo 15 da Resolução TSE nº 21.538/2003.

Isenção da multa

O Código Eleitoral dispõe que o eleitor que não tem condições financeiras para arcar com o pagamento de débitos eleitorais fará jus à isenção de multas. A condição deve ser informada ao servidor da Justiça Eleitoral no momento do atendimento. O direito à isenção das multas é garantido pelo parágrafo 3º do artigo 367 do Código Eleitoral. Também é amparado pela Lei nº 7.115/1983, que dispõe sobre prova documental. No momento do atendimento, além de informar sua condição ao servidor ou colaborador da Justiça Eleitoral, o cidadão deverá preencher e assinar a “Declaração de Insuficiência Econômica”. 

EM, RD/RR, DM

Fonte Oficial: http://www.tse.jus.br/imprensa/noticias-tse/2019/Fevereiro/confira-o-passo-a-passo-para-emitir-a-guia-de-recolhimento-da-uniao-gru-para-pagamento-de-multa-eleitoral.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Conexão Eleitoral 22.02.2019

Conexão Eleitoral 22.02.2019 Fonte Oficial: http://www.tse.jus.br/videos/conexao-eleitoral-22-02-2019. ​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são …