Ricardo Boechat era referência para o jornalismo, dizem senadores — Senado Notícias

A morte do jornalista Ricardo Boechat, aos 66 anos, num acidente de helicóptero nesta segunda-feira (11), em São Paulo, gerou grande consternação entre senadores. Além de Boechat, morreu também o piloto Ronaldo Quattrucci. Segundo informações da Polícia Militar de São Paulo, o piloto tentou um pouso de emergência na pista do rodoanel vizinha ao trevo com a rodovia Anhanguera, mas se chocou com um caminhão que havia passado pela cancela automática do pedágio.

O senador Jorge Kajuru (PSB-GO) ao abrir a sessão, anunciou ao Plenário o falecimento do jornalista no acidente do helicóptero.

— A vida está muito difícil neste ano, com a tragédia de Brumadinho, o incêndio do CT do Flamengo e agora a morte de Boechat neste acidente. Inclusive neste domingo, conversei com Boechat, que foi meu colega jornalista. Falamos por quase 20 minutos em um conversa amigável.

O senador Paulo Paim (PT-RS), explicou que estava elaborando um voto de pesar à família do jornalista e à Rede Bandeirantes. E que várias vezes Boechat lhe concedia o direito de resposta a alguma notícia que lhe envolvesse.

— Várias vezes enviei a resposta ainda durante a exibição do telejornal ou do rádio noticiário e Boechat lia ainda no ar. Sempre foi respeitoso. Temos de ter mais desse tipo de jornalismo, com os amantes da verdade — afirmou Paim.

O senador Alvaro Dias (Pode-RR) admitiu que não está fácil se manifestar no momento, após a “ressaca vivida pelo povo brasileiro pela sequência de dramas como a catástrofe de Brumadinho e o incêndio do CT do Flamengo”.

— Nestas últimas eleições [quando candidato à presidência da República] tive o prazer de ser entrevistado por ele na Band News. Boechat sempre foi — e ultimamente era — uma referência, um artífice no combate pela ética no país.

O senador Telmário Mota (Pros-RR) afirmou que Ricardo Boechat era uma voz ativa, corajosa e sensata. Várias vezes ele denunciou a corrupção, incomodando muita gente poderosa.

— Não perdemos só o jornalista. Muitas vezes me utilizei das matérias dele para balizar meu trabalho como senador, usando suas informações para denunciar casos de corrupção em meu estado — disse Telmário.

O senador Reguffe (sem partido-DF) declarou que o Brasil perdeu um grande patriota e grande jornalista. E se dispôs a assinar o voto de pesar pelo falecimento de Ricardo Boechat.

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) disse que não conhecia o jornalista, mas já havia dado “boas risadas” com o bom-humor com que comentava as notícias.

— Meus sentimentos e que Deus conforte a todos.

O senador Izalci Lucas (PSDB-DF), que presidia a sessão, anunciou o recebimento da nota de pesar solicitada pelos senadores presentes, aos quais se juntou.

— Quero dizer que me solidarizo e assino essa nota a ser enviava às famílias e à Rede Bandeirantes.

Manifestações nas Redes Sociais

Desde o anúncio da morte do jornalista Ricardo Boechat, diversos senadores se manifestaram sobre o acidente no Twitter. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, divulgou nota pela rede para lamentar a morte do profissional reconhecido pelo trabalho e senso crítico aguçado.

“Boechat sempre demonstrou sensibilidade na prática do jornalismo de qualidade, voltado ao interesse público e independente. A comunicação brasileira e todos nós perdemos um profissional exemplar”, disse o senador Otto Alencar (PSD-BA).

O senador Jaques Wagner (PT-BA), por sua vez, afirmou que o jornalismo brasileiro perdeu um de seus mais notáveis profissionais. “Ricardo Boechat destacou-se por sua seriedade e competência e era querido por todos.”

A senadora Simone Tebet (MDB-MT) declarou que o jornalismo brasileiro está de luto. “Perde um dos profissionais mais vibrantes e independentes. A morte repentina de Ricardo Boechat deixa um vácuo, nos choca e entristece.”

O senador Fernando Collor de Mello (PROS-AL) escreveu frisando também o falecimento do piloto, o comandante Ronaldo Quattrucci. “Lamento o falecimento do jornalista Ricardo Boechat, em acidente no qual também perdeu a vida o piloto do helicóptero.”

Também haviam se manifestado pelo Twittter até o início da tarde os senadores Dário Berger (MDB-SC), Paulo Rocha (PT-PA), Jean Paul Prates (PT-RN), Styvenson Valentin (Pode-RN), Angelo Coronel (PSD-BA), Romário (Pode-RJ), Vanderlan Cardoso (PP-GO), Eduardo Braga (MDB-AM), Kátia Abreu (PDT-TO), Eliziane Gama (PPS-MA), Lasier Martins (Pode-RS), Daniella Ribeiro (PP-PB), Ciro Nogueira (PP-PI), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Humberto Costa (PT-PE), Lucas Barreto (PSDB-AP), Roberto Rocha (PSDB-MA), Marcos Rogério (DEM-RO), Elmano Ferrer (Pode-PI), Rogério Carvalho (PT-SE), Arolde de Oliveira (PSD–RJ), Carlos Viana (PSD-MG), Mara Gabrilli (PSDB-SP), Rodrigo Cunha (PSDB-AL), Irajá (PSD-TO), Acir Gurgacz (PDT-RO), Mecias de Jesus (PRB-RR), Luiz do Carmo (MDB-GO), Veneziano Vital do Rego (PSB-PB), Weverton Rocha (PDT-MA), Mailza Gomes (PP-AC), Esperidião Amin (PP-SC), Fabiano Contarato (Rede-ES), José Serra (PSDB-SP) e Confúcio Moura (MDB-RO).

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/02/11/ricardo-boechat-era-referencia-para-o-jornalismo-dizem-senadores.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Comissão de Transparência quer fiscalizar desperdício de dinheiro público — Senado Notícias

A Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor (CTFC) tem que …