Contato com população de Brumadinho é determinante para trabalho de comissão, dizem deputados – Notícias

Contato com população de Brumadinho é determinante para trabalho de comissão, dizem deputados

Joana Paula

Audiência pública da comissão externa em Brumadinho

Contato com a população atingida pela tragédia de Brumadinho é determinante para o trabalho de revisão da legislação. A comissão externa da Câmara foi à cidade mineira nesta sexta-feira (15), reuniu-se com moradores, ouviu relatos dramáticos e encontrou um clima de revolta entre os atingidos pelo rompimento da barragem da mineradora Vale, ocorrido em 25 de janeiro.

Por conta própria ou informalmente, os deputados já haviam visitado Brumadinho várias vezes após o crime socioambiental que deixou mais de 300 vítimas, entre mortos e desaparecidos, além de danos ainda não devidamente medidos para o meio ambiente. Mas, para o coordenador da comissão externa, deputado Zé Silva (SD-MG), essa audiência realizada na Câmara de Vereadores de Brumadinho foi “especial”.

“Ficou muito clara para nós a revolta da população porque quem decide quem merece (indenização) ou não e se são ou não atingidos é a própria empresa. Estamos chegando a uma comunidade já altamente excluída, e também onde o sentimento de abandono e de não saber a quem procurar é muito grande. Pretendemos, no encaminhamento da próxima terça-feira, oficiar todos os órgãos governamentais e também acionar a Vale o mais rapidamente possível para que os efetivos pagamentos sejam feitos”.

Representante da comissão dos atingidos do Córrego do Feijão, Juliana foi uma das moradoras a desabafar com indignação.

“Hoje, com 50 dias, meu sogro ainda se encontra embaixo daquela lama e nós não temos nenhum respaldo e nenhuma informação correta do que está acontecendo. A Vale continua nos matando a cada dia. Ela tirou o direito de ir e vir da comunidade de Córrego do Feijão, tirou os nossos entes queridos e a saúde dos nossos filhos. E ela tem tentado tirar de nós a nossa dignidade”.

Aldeia
Os deputados também visitaram a aldeia Pataxó Naô Xohã, no vizinho município vizinho de São Joaquim de Bicas, fortemente afetado pela lama tóxica que tomou conta do rio Paraopebas. As principais queixas dizem respeito a descaso da Vale e das autoridades, além da falta de indenização às famílias das vítimas.

A visita formal da comissão externa da Câmara a Brumadinho foi iniciativa da deputada Áurea Carolina (PSOL-MG). Para a deputada, a solução para tais problemas passa pelo trabalho integrado dos órgãos públicos com os movimentos sociais, além de revisão do modelo econômico do país.

“O direito das populações atingidas tem que contar com recursos do orçamento público. A gente está discutindo um modelo econômico que existe há séculos no nosso País e que foi sendo intensificado na sua perversidade socioambiental e chegamos a uma situação limite de colapso generalizado que produz muito sofrimento”.

Além de Áurea Carolina e Zé Silva, os deputados mineiros Júlio Delgado (PSB), Rogério Correia e Padre João, ambos do PT, também participaram das ações da comissão externa da Câmara em Brumadinho.

Fonte Oficial: Câmara dos Deputados.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Projeto triplica pena do estelionato para quem se beneficiar financeiramente de desastre ambiental – Notícias

Projeto triplica pena do estelionato para quem se beneficiar financeiramente de desastre ambiental Michel Jesus/Câmara …