Ministra Cármen Lúcia recebe a insígnia de Oficial da Ordem da Legião de Honra da França – STF

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), recebeu, na noite de ontem (20), a insígnia de Oficial da Ordem da Legião de Honra da República Francesa. A honraria, criada pelo imperador Napoleão Bonaparte em 1802, é a mais alta distinção concedida pelo país e foi entregue pelo general Benoît Puga, ex-chefe do Estado-Maior do Presidente da França. A solenidade ocorreu na Embaixada da França e contou com a presença de ministros do Supremo e de tribunais superiores, além de outras personalidades do meio jurídico.

Em seu discurso, a ministra Cármen Lúcia agradeceu o reconhecimento e disse que os princípios da Revolução Francesa (liberdade, igualdade e fraternidade) sempre a motivaram. “No atual momento do país, o compromisso com o outro e a defesa dos direitos conquistados requerem ainda mais atenção”, afirmou.

O general Benoît Puga destacou a trajetória da ministra, que atuou como advogada, no Ministério Público, chegando a procuradora-geral de Minas Gerais. “É uma carreira excepcional. O seu conhecimento do Direito Francês e o trabalho de combate à corrupção fazem a ministra Cármen Lúcia ser admirada por magistrados brasileiros e franceses”, apontou, ressaltando ainda que ela é uma “apaixonada” pela justiça e pelo Direito, além de ser uma militante em prol da democracia e da defesa dos direitos das mulheres.

O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, disse que a condecoração é uma honra para o Brasil e o Poder Judiciário, que defende a democracia, as liberdades e a imprensa livre. O ministro Roberto Barroso frisou que a ministra é uma “pessoa exemplar na sua dedicação ao trabalho, na sua integridade e nos seus compromissos com o Brasil”.

O ministro Alexandre de Moraes assinalou que a ministra Cármen Lúcia, nos dois anos que foi presidente do STF (2016-2018), representou a excelência do Judiciário brasileiro. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, declarou que a ministra se destaca pela temperança, sobriedade e profundo saber jurídico, mas também como magistrada muito sensível aos principais problemas do Brasil.

RP/RR

Fonte Oficial: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=406396.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Mantida execução da pena de ex-vereador com condenação confirmada pelo STJ – STF

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou Habeas Corpus (HC 154691) a …