“Agenda socialista fracassou”, diz líder do PPS. Antigo PCB, partido agora terá novo nome – Congresso em Foco

Em congresso extraordinário realizado neste sábado (23), em Brasília, o PPS aprovou a mudança de nome e lançou uma nova carta de princípios. O partido, que tem três senadores e oito deputados, passará a se chamar Cidadania.

O líder do partido na Câmara, Daniel Coelho (PE), afirma que o Cidadania não pretende apagar a origem comunista do PPS, mas abraçar agora novas posições. “Temos a nossa história. O PPS reconheceu que a agenda socialista e comunista fracassou do ponto de vista econômico e olhamos para frente. Defendemos teto de gastos, reforma trabalhista e da Previdência, a agenda econômica conectada ao mundo atual. Caminhamos para o centro, mas temos parlamentares de centro-esquerda e centro-direita”, explica em entrevista ao Congresso em Foco. O PPS vem de uma dissidência do antigo Partido Comunista Brasileiro (PCB).

O partido tem filiado nomes que integram movimentos de renovação na política, como o Acredito, o Agora e o RenovaBr.

O PPS se junta a outras legendas que excluíram a palavra partido de suas denominações, como o PP, que virou Progressistas, o DEM (antigo PFL), o Podemos (que era PTN), o Patriota (PEN), o Democracia Cristã (ex-PDC), o Avante (PTdoB) e o MDB (que voltou ao nome original após décadas de PMDB). Outros já nasceram sem o “P” característico na sigla, caso da Rede Sustentabilidade e do Solidariedade.

Segundo Daniel Coelho, o novo nome remete a um conceito. “Essa coisa das siglas fica muito na letrinha. As pessoas não percebem o conceito. Decidimos colocar nosso conceito de cidadania à frente para identificar bandeiras que vamos erguer”, explica. “Não queremos negar que somos um partido, mas reafirmar que estamos conectados com desejos novos, que têm a ver com participação democrática, direitos sociais, combate à corrupção”, acrescenta.

Na carta de princípios, o agora Cidadania assume o compromisso de “construir uma política na qual a participação cidadã inclua diferentes segmentos da sociedade, que são hoje minoritários em representação, como mulheres, negros, indígenas, LGBTI+, pessoas com deficiência e jovens”.

CARTA DE PRINCÍPIOS

Brasília, 23 de março de 2019

Nós, delegados do Partido Popular Socialista e de diversos movimentos sociais, reunidos em Brasília, deliberamos pela criação de uma nova formação partidária, nomeada Cidadania, que trata com a mesma importância as questões econômicas e sociais, e que:

– se constrói em oposição à polarização política e a favor do diálogo e da convergência;

– se compromete com o combate à pobreza e o combate às desigualdades sociais;

– defende a responsabilidade fiscal em respeito aos impostos que são fruto do trabalho dos cidadãos;

– apoia a sustentabilidade nas suas dimensões ambiental, política e econômica;

– acredita na liberdade como um direito inalienável;

– combate as diferentes formas de preconceito e discriminação;

– se compromete em construir uma cultura de solidariedade e paz;

– se dedica a promover igualdade de oportunidades para todos os que residem no Brasil, brasileiros ou não;

– tenha pluralidade como prioridade na construção dos debates e processos de deliberação do partido;

– combate o populismo e discute os problemas complexos do Brasil e do mundo com a seriedade que eles merecem;

– acredita no acesso à educação como principal vetor da cidadania;

– defende o fortalecimento das instituições democráticas;

– defende a transparência como mecanismo de controle social;

– se compromete com a redução das fronteiras físicas e políticas entre as pessoas;

– reafirma o seu compromisso em construir uma política na qual a participação cidadã inclua diferentes segmentos da sociedade, que são hoje minoritários em representação, como mulheres, negros, indígenas, LGBTI+, pessoas com deficiência e jovens.

Conclamamos todos os cidadãos, cidadãs e movimentos da sociedade civil organizada, que compartilham desses valores, a participar conosco da construção dessa nova formação partidária.

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Agência de turismo que trabalha com câmbio se submete à fiscalização do BC – AASP

A Primeira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) entendeu que a agência de turismo …