Senadores lembram entrada em vigor da primeira Constituição brasileira — Senado Notícias

Em 25 de março de 1824 o Brasil teve sua primeira constituição. O texto foi elaborado pelo imperador D. Pedro I e dez conselheiros nomeados constituintes, após o monarca recusar, sob a força das armas, o texto que estava sendo redigido pela assembléia constituinte. O imperador não abria mão do seu poder de veto e fechou a constituinte que em 3 de maio de 1823 havia iniciado a elaboração da primeira Carta Magna brasileira, que, para ele, era demasiadamente liberal.

Mesmo sendo uma constituição outorgada — imposta pelo governante — sua vigência foi de 65 anos, sendo extinta apenas com a Proclamação da República em 15 de novembro de 1889, que depôs o imperador D. Pedro II. Vários historiadores, como Luis Felipe Alencastro, explicam que a base econômica e política do Império do Brasil era a escravidão. E com a abolição da escravatura em 1888, a base da monarquia caiu um ano mais tarde.

Embora a data de 25 de março não seja muito comemorada, vários senadores fizeram questão de mencionar a sua passagem como fato importante ao país.

Senadores

O senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) publicou em sua conta no Twitter que “a defesa da Constituição federal é fundamental para uma sociedade organizada. Sem isso, os direitos e deveres dos cidadãos, bem como as responsabilidades sociais do Estado, ficam comprometidos e colocam em risco o futuro do Estado democrático de direito”.

Por sua vez, o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) tuitou uma explicação do que seja a Constituição: “A Constituição é o conjunto de normas e leis que norteiam os direitos e deveres dos cidadãos, bem como as responsabilidades sociais do Estado, individuais ou coletivos, a fim de organizar o país”.

Os senadores Mecias de Jesus (PRB-RR) e Jader Barbalho (MDB-PA) associaram a atual Constituição ao deputado Ulysses Guimarães (PMDB-SP), que foi seu maior ícone.

Mecias reproduziu no seu Facebook uma das frases de Ulysses, presidente da Assembléia Nacional Constituinte de 1987/1988, defendendo o texto em vigor: “A persistência da Constituição é a sobrevivência da democracia”.

Jader Barbalho, usando o Twitter, reproduziu outra frase de Ulysses Guimarães, no mesmo discurso da promulgação da Constituição atual: “quanto a ela discordar sim, divergir sim, descumprir jamais”.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/03/25/senadores-lembram-entrada-em-vigor-da-primeira-constituicao-brasileira.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Deputadas querem ir ao STF para discutir a descriminalização do funk – Notícias

Cleia Viana/Câmara dos Deputados Durante a audiência ficou acertado que as deputadas irão buscar recursos …