STF fecha compra milionária com vinho importado, camarões e lagostas no cardápio. Veja documento – Congresso em Foco

Mesmo alvo de inúmeras críticas, de questionamento do Ministério público e de uma ação popular, o Supremo Tribunal Federal (STF) não desisitiu da compra milionária de refeições para servir aos ministros e convidados. Entre os itens há medalhões de lagostas, camarões e vinhos importados. A informação está no Blog do Fausto Macedo, no site do Estado de S.Paulo.

O valor orçado inicialmente em R$ 1,134 milhão, mas conforme a reportagem acabou ficando em cerca de R$ 481 mil. “O edital provocou desconforto entre ministros da Corte e indignação entre servidores do tribunal. Um ministro disse reservadamente à reportagem que a compra não foi previamente discutida pelos magistrados em sessão administrativa e, portanto, não foi chancelada pelo colegiado”, destaca o texto.

A empresa contratada foi a Premier Eventos LTDA, que já serviu buffet em eventos como a Copa das Confederações e a Copa do Mundo. No edital de convocação, há detalhes dos itens que devem constar nos buffets. Na lista há exigência de pratos como bacalhau à Gomes de Sá, frigideira de siri, moqueca (capixaba e baiana) e arroz de pato.

Veja aqui o edital de convocação da licitação em que é possível conferir os detalhes exigidos pelo tribunal. Na página cinco, constam o tipo de serviço que o STF pediu, como café da manhã à francesa, brunch, almoço e jantar, coffe break e coqueteis. A partir da página oito é possível ver o cardápido e o itens de cada refeição.

 

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Damares nega 16 reconhecimentos de anistia; pedidos de Lula e Dilma podem ser definidos ainda este mês – Congresso em Foco

Damares nega 16 reconhecimentos de anistia; pedidos de Lula e Dilma podem ser definidos ainda …