Michel Temer vira réu pela sexta vez, agora por organização criminosa e obstrução de Justiça – Congresso em Foco

O ex-presidente Michel Temer tornou-se réu mais uma vez, a sexta, agora por organização criminosa e obstrução de Justiça. A decisão foi tomada pelo juiz Marcus Vinícius Reis Bastos, da 12ª Vara da Justiça Federal de Brasília. Veja aqui a decisão.

A denúncia foi oferecida inicialmente ao Supremo Tribunal Federal (STF) em 2017 pelo então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, mas enviada à primeira instância no mês passado.

O MP acusa Temer de ter instigado o empresário Joesley Batista, do grupo J&F, a pagar vantagens indevidas ao ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ), preso em Curitiba, para que ele não fechasse acordo de colaboração premiada.

>> Michel Temer e Moreira Franco são presos

>> Preso, Temer é alvo de dez investigações. Veja todas as acusações contra o ex-presidente

Segundo o juiz, tratam-se dos mesmos fatos investigados no inquérito sobre o chamado “quadrilhão do MDB”. Em outubro de 2017, Temer se livrou de virar réu quando ainda tinha foro, já que a maioria dos deputados rejeitou a denúncia da PGR, que ficou suspensa até ele deixar a Presidência.

Durante a fase de ação penal, serão analisadas provas e coletados depoimentos de defesa e de acusação. Além do ex-presidente, também se tornaram réus por organização criminosa no mesmo inquérito os ex-ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco.

Ao final, ocorre o interrogatório. Somente depois disso o juiz vai decidir se eles são culpados ou inocentes das acusações.

>> MPF acusa Temer de fazer “ajustes de propina para durar décadas”

>> Grupo de Temer “assalta o país” há 40 anos, diz Lava Jato

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Fernando Bezerra mantém Coaf no Ministério da Justiça em relatório da MP que reestrutura a Esplanada – Congresso em Foco

Fernando Bezerra mantém Coaf no Ministério da Justiça em relatório da MP que reestrutura a …