Contabilistas apresentam reivindicações em sessão especial — Senado Notícias

O Senado realizou nesta segunda-feira (6) uma sessão especial em homenagem ao Dia do Contabilista (25 de abril).

Durante a sessão, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF), que pediu a homenagem e também atuou profissionalmente no segmento antes de entrar para a vida pública, informou que vem articulando junto ao governo para que o PLC 96/2018 seja aprovado na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), na quarta-feira, e no Plenário na semana seguinte. A proposta anistia multas impostas a contadores por atrasos na entrega de guias de recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e de informações à Previdência Social entre 2009 e 2013.

— Os profissionais deste setor estão apreensivos com as multas desproporcionais que lhe foram atribuídas, no valor de R$ 500 para cada obrigação acessória, em que não raramente há diversas informações, sendo que para cada informação se imputou uma multa. O que acontece é que devido a essa mudança, inúmeros escritórios de contabilidade já acumularam débitos acima de R$ 1 milhão, R$ 2 milhões e de até R$ 3 milhões. Inúmeros profissionais estão em desespero em todos os estados, infelizmente com casos até de suicídios de profissionais honrados — lamentou o senador.

Izalci fez questão de ressaltar que as multas “injustas e desproporcionais” foram aplicadas pela Receita Federal não por sonegação de tributos, mas pelo atraso na entrega das guias. A proposta tem o parecer pela aprovação na CAS, feito pelo senador Paulo Paim (PT-RS).

Carreira de Estado

O presidente da Associação Nacional de Contabilistas do Poder Executivo Federal (Anacontas), Francisco Lima, solicitou que o poder público reconheça os profissionais da área como de uma carreira típica de Estado. Lima ressaltou que é comum profissionais de contas sofrerem assédios, chegando até a serem afastados de órgãos públicos, quando não compactuam com “posturas adotadas por gestores que ferem a lei”.

— Quando o profissional de contabilidade, zeloso que é pela correta prestação de contas, pela transparência e pela obediência à legislação, emite um parecer contrário ou opõe-se a uma determinada diretriz, acaba alijado do processo. Há casos até de afastamentos por causa disso — criticou o sindicalista, para quem o reconhecimento como carreira típica de Estado dará autonomia à ação dos contabilistas.

Lima também criticou o fato de hoje, em todas as esferas de governo, atividades típicas da contabilidade estarem sendo exercidas por pessoas sem formação na área, até mesmo em cargos de direção. O senador Telmário Mota (Pros-RR), que também é contador profissional e exerceu a atividade no mercado financeiro, lembrou ainda que a categoria tem exercido um papel crucial no combate à corrupção nos últimos anos, por meio do assessoramento a órgãos de controle.

O presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Distrito Federal (CRC-DF), Adriano Marrocos, pediu também o apoio do Congresso Nacional à criação da Secretaria de Contabilidade Nacional. O novo órgão agregaria todos os técnicos em contabilidade e contabilistas no setor público, e seria também o responsável pela gestão do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi). A proposta encontra-se sob a análise do Ministério da Economia.

— Esse seria o maior sinal de transparência que um governo poderia apresentar. Nossos profissionais são competentes e atuam nas bases, muitas vezes impedindo que gestores públicos apliquem recursos de maneira indevida. A estrutura hoje é frágil e precisa ser aprimorada — deixou claro Marrocos.

Representando a Secretaria do Tesouro Nacional, a contabilista Gildenora Dantas solicitou esforço político pela aprovação do PL 3744/2000, que tramita na Câmara dos Deputados e cria o Conselho de Gestão Fiscal (CGF). A servidora ressaltou que o CGF é previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF – Lei Complementar 101, de 2000) e daria mais efetividade a esta legislação. Também participou da sessão o presidente do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), Zulmir Breda, que detalhou parcerias com órgãos de controle nacionais e internacionais, para que a contabilidade tanto a nível público quanto privado no país “possa acompanhar os mais exigentes padrões vigentes nas nações mais desenvolvidas”.

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/05/06/contabilistas-apresentam-reivindicacoes-em-sessao-especial.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

CAE aprova mandatos fixos para diretores do Banco Central — Senado Notícias

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovou mandatos fixos para a diretoria do …