Liga do Boqueirão protege e atende crianças vítimas de violência sexual – Prefeitura de Curitiba/PR

Prevenir e oferecer atendimento completo para crianças e adolescentes vítimas de violência sexual e suas famílias. Este é o objetivo da Liga Boqueirão de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, projeto-piloto lançado pelo Ministério Público, nesta terça-feira (14/5), e que tem como parceiros a Prefeitura, o Poder Judiciário, Defensoria Pública e a comunidade.

Com o nome inspirado na equipe de super-heróis das histórias em quadrinhos, a Liga do Boqueirão deve reunir informações, melhorar o atendimento e capacitar pessoas para fortalecer o trabalho em rede. A intenção é que as crianças e adolescentes tenham um tratamento especial desde a constatação da violência, para que possam superar o trauma.

A Prefeitura integra a Liga por meio das secretarias da Saúde e da Educação e da Fundação de Ação Social (FAS), que irão sensibilizar a comunidade para o enfrentamento da violência e treinar profissionais para trabalhar na prevenção, identificação, no registro e nos encaminhamentos.

Na área da Saúde, uma psicóloga fará a chamada escuta qualificada especializada das vítimas de violência, considerada um dos maiores benefícios do projeto. Atualmente, uma criança ou adolescente vítima de violência é ouvida aproximadamente dez vezes por profissionais, desde o momento da revelação. Com o novo trabalho proposto pela Liga, serão no máximo três momentos, o que torna a resolução mais rápida e diminui o trauma da vítima.

“Este é o grande salto de qualidade no atendimento a esse público, além de acelerar os processos que envolvem casos de violência sexual”, explica a supervisora da FAS na Regional Boqueirão, Valdirene Pires, que participou do lançamento do projeto, no Centro Universitário Esic.

Ações

A Liga terá 16 ações integradas que compõem quatro eixos de atuação: participação, protagonismo, comunicação e mobilização; prevenção; atenção e pesquisa; e responsabilização.

O trabalho será conduzido em diferentes frentes, incluindo o atendimento direto à vítima, com escuta qualificada, atendimentos médico e psicológico especializados; o suporte às famílias, com atuação de profissionais de serviço social; a realização de ações nas comunidades – palestras educativas nas escolas; e até a responsabilização dos agressores, com a persecução penal.

Mais casos

A Regional do Boqueirão foi escolhida para o lançamento do projeto-piloto em função do número de casos de violência sexual registrado na região, um dos mais altos da cidade. Em 2018, foram registrados em Curitiba 599 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes – situações confirmadas e suspeitas -, segundo o Sistema Nacional de Atendimento Médico (Sinam). Setenta e seis deles foram notificados nos bairros Hauer, Xaxim, Boqueirão e Alto Boqueirão, que compõem a regional.

 

 

Fonte Oficial: http://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/liga-do-boqueirao-protege-e-atende-criancas-vitimas-de-violencia-sexual/50372.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Agência Curitiba firma parceria com universidade do Vale do Silício – Prefeitura de Curitiba/PR

A Agência Curitiba vai trocar experiências e discutir parcerias nas áreas de tecnologia e sustentabilidade …