Especialistas alertam para distribuição desigual de profissionais do SUS — Senado Notícias

Em audiência pública na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) sobre a situação atual do Sistema Único de Saúde (SUS), especialistas e representantes de classe destacaram que o maior problema está na distribuição dos profissionais pelas regiões brasileiras. Durante o debate, realizado nesta terça-feira (11), os convidados ainda criticaram o modelo de saúde privada, que tende a se tornar insustentável.

Segundo o representante da comissão Pró-SUS do conselho Federal de Medicina, Donizetti Dimer, os médicos escolhem a região em que desejam atuar conforme o salário, as condições de trabalho e a qualidade de vida. Esses fatores, conforme salientou, contribuem para a persistência da desigualdade na distribuição de profissionais.

— Formamos mais médicos que se concentram mais. Não há uma política adequada de fixação desses profissionais. Não só médicos, mas outros profissionais da saúde — observou

Para o professor e pesquisador do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde da Universidade de Brasília (UnB), Heleno Correa, é necessária uma mudança na ideia de privatizações da saúde — modelo que considera insustentável para qualquer classe social. Ele criticou o modelo de planos de saúde acessíveis, opinando que são meios de “tomar dinheiro de gente pobre”.

— No modelo em que cada um paga o que pode e compra o que pode, ninguém pode ter acesso ao número infinito de profissionais necessários para fazer a oferta desse modelo — lembrou.

O senador Paulo Paim (PT-RS), que presidiu a audiência, destacou que o deficit na saúde pública afeta não só quem precisa do sistema, mas também contribui para o encarecimento dos planos privados de saúde.

— Quando falamos de saúde, estamos tratando da defesa da vida. E naturalmente, o SUS nos preocupa. Não é a preocupação só desse ou daquele cidadão, mas do conjunto do povo brasileiro. Me assusta quando eu vejo que está disparando a mensalidade dos planos de saúde — lamentou.

Os participantes da audiência também alertaram para a possibilidade de cortes no orçamento do SUS: o Ministério da Saúde possui um orçamento de R$ 117 bilhões para este ano. A comissão ainda pretende solicitar uma audiência no Plenário do Senado para ampliar a discussão sobre os problemas do SUS.

Com informações da Rádio Senado

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/06/11/especialistas-alertam-para-distribuicao-desigual-de-profissionais-do-sus.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Liberação de FGTS pode dar impulso ao consumo e garantir crescimento em 2019, avalia IFI — Senado Notícias

A liberação de parte dos saldos do FGTS e do PIS-Pasep prevista na Medida Provisória …