Seminário vai debater Política Nacional de Justiça Restaurativa

O 1° Seminário sobre a Política Nacional de Justiça Restaurativa, que será realizado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) na próxima segunda e terça-feira (17 e 18/6), vai reunir em Brasília integrantes dos comitês regionais com o intuito de promover um intercâmbio de experiências e ideias a respeito do tema. 

O professor Joao Salm, da Governors State University, fará a conferência magna do evento. Considerado uma das maiores autoridades no assunto, o docente abordará o seguinte tema: “Administrando a Justiça Restaurativa: uma análise organizacional”

No primeiro dia, além de debates sobre o processo de elaboração e implementação da Resolução CNJ nº 225/2016, que criou a política, será apresentado levantamento feito pelo Departamento de Pesquisas Judiciárias sobre as iniciativas desenvolvidas pelos tribunais brasileiros. A ideia é discutir os resultados e as informações enviadas pelos tribunais a fim de receber sugestões de melhoria para condução dos comitês estaduais.

À tarde, haverá dois painéis. O primeiro terá como tema “Gestão de Implementação da Política Nacional da Justiça Restaurativa” e, na sequência, “Formação/Capacitação de Facilitadores e metodologias restaurativas.

Oficinas

No segundo dia, serão realizadas de quatro oficinas: “Formação/Capacitação de Facilitadores e metodologias restaurativas”, “Formação e aperfeiçoamento, Articulação sistêmica, interinstitucional, intersetorial e interdisciplinar” e “Implementação de espaços seguros e qualificados para a Justiça Restaurativa”. No encerramento do evento, os participantes apresentaram os resultados das oficinas. Confira aqui a programação completa do seminário.

 

Resolução CNJ n° 225/2016

A Resolução CNJ n. 225 conceitua justiça restaurativa para o Poder Judiciário como um “conjunto ordenado e sistêmico de princípios, métodos, técnicas e atividades próprias que visa à conscientização sobre os fatores relacionais, institucionais e sociais motivadores de conflitos e violência, e por meio do qual os conflitos que geram dano, concreto ou abstrato, são solucionados de modo estruturado”.

Com uma abordagem diferente do fenômeno da violência, o método de solução de conflitos da justiça restaurativa prevê a responsabilização do agressor, direta ou indiretamente, além da reparação do dano de uma forma que permita a recomposição dos laços sociais rompidos pela violência.

Seminário do Pacto Nacional pela Primeira Infância – Região Centro-Oeste

Data: 17 e 18/6/2019
Local: Tribunal Superior do Trabalho, Brasília – DF

Agência CNJ de Notícias

Fonte Oficial: http://feedproxy.google.com/~r/noticiascnj/mZae/~3/0u8RjSwqwYA/89095-seminario-vai-debater-politica-nacional-de-justica-restaurativa.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Pesquisa aponta necessidade de padronização em escuta humanizada de crianças

Pesquisa realizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apontou que ainda não existe uma uniformização …