Morre jornalista Paulo Henrique Amorim – Congresso em Foco

O jornalista Paulo Henrique Amorim morreu vítima de infarto na madrugada desta quarta-feira (10) em sua residência, no Rio de Janeiro. Ele tinha 77 anos e estava afastado da função de apresentador do programa Domingo Espetacular, da Record, desde junho. Crítico do governo Jair Bolsonaro, colegas de trabalho comentaram nas redes sociais, que o afastamento de Amorim tinha motivações políticas. A Record se pronunciou por nota citando processo de reformulação em seu jornalismo e dizendo que o apresentador ficaria à disposição para novos projetos na emissora.

Atuando desde 1961, Paulo Henrique Amorim passou pelas principais redações jornalísticas do país, inclusive pela revista Realidade e Revista Veja, emissores Tv Manchete, Tv Band e rede Globo. Na Tv Cultura comandou o programa Conversa Afiada, mesmo nome de seu blog político, o tornou amplamente conhecido também na era do jornalismo digital, a partir dos anos 2000.

Paulo Henrique Amorim foi o principal responsável pela popularização da sigla PIG – projeto imprensa golpista – que usava para criticar as práticas da imprensa nacional e seu envolvimento com os poderes. Também era crítica da Operação Lava Jato. As opiniões lhe renderam condenações por injúria e difamação por parte de outros jornalistas e autoridades políticas.

>>Clóvis Rossi, um dos principais jornalistas do país, morre aos 76 anos

 

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Atos homofóbicos e transfóbicos são formas contemporâneas de racismo social. Entenda a decisão do STF – Dizer o Direito

quarta-feira, 10 de julho de 2019 A Lei nº 7.716/89 prevê os crimes resultantes de …