PSB vai punir quem apoiou reforma da Previdência – Congresso em Foco

Assim como o PDT, o PSB vai punir os deputados que contrariaram a posição do partido para votar a favor da reforma da Previdência. A comissão de ética da sigla já marcou até uma reunião para avaliar a punição que será aplicada aos 11 parlamentares socialistas que apoiaram a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019 no plenário da Câmara dos Deputados nessa quarta-feira (10). E a penalidade pode ir da advertência à expulsão.

> Oposição dá 19 votos ao governo na reforma da Previdência

A punição foi confirmada ao Congresso em Foco pelo presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, nesta quinta-feira (11). “Vai haver providências e elas já estão sendo solicitadas”, afirmou Siqueira, dizendo que o presidente da comissão de ética do partido, Alexandre Navarro, já marcou uma reunião para a próxima segunda-feira (15) para avaliar esta questão. “A comissão de ética vai processar e depois julgar. Ela vai dizer o grau de punição que vai ser estabelecido”, explicou o presidente socialista, lembrando que essa punição pode ir de uma advertência até a expulsão do partido.

Siqueira explicou que a reunião da Comissão de Ética foi marcada com tanta celeridade porque o resultado da votação da reforma da Previdência foi muito mal recebido pelo partido. O PSB foi a sigla da oposição que mais registrou dissidências. Onze dos 32 deputados socialistas votaram a favor da PEC. Foram eles: Átila Lira (PI), Emidinho Madeira (MG), Felipe Carreras (PE), Felipe Rigoni (ES), Jeferson Campos (SP), Liziane Bayer (RS), Luiz Flávio Gomes (SP), Rodrigo Agostinho (SP), Rodrigo Coelho (SC), Rosana Valle (SP), Ted Conti (ES). O número supera até o do PDT, que, antes da votação, já havia avisado que iria punir os dissidentes e, mesmo assim, viu oito dos seus 27 deputados apoiarem a reforma.

“Esses parlamentares não representaram em absolutamente nada o PSB”, criticou Siqueira, contando que vários membros do partido o procuraram para entrar com uma representação contra esses deputados. “Eles estão entrando com essa representação. E, assim que recebê-la, vou mandar para a Comissão de Ética, porque esta foi uma infração grave”, concluiu o presidente da sigla.

>  Previdência: o voto de cada deputado

PDT
Como já havia sido avisado pelo presidente nacional do partido, Carlos Lupi; o PDT também prepara punições para os oito parlamentares que votaram sim à reforma da Previdência. O principal alvo dos militantes trabalhistas tem sido Tabata Amaral (SP), que justificou seu voto nas redes sociais dizendo que continua lutando pela manutenção da aposentadoria especial dos professores. Também deve haver punições, contudo, para os outros sete dissidentes: Alex Santana (BA), Flávio Nogueira (PI), Gil Cutrim (MA), Jesus Sérgio (AC), Marlon Santos (RS), Silvia Cristina (RO), Subtenente Gonzaga (MG).

Em vídeo publicado nas redes sociais logo após a aprovação do texto-base da PEC 6/2019, Carlos Lupi reforçou que “o PDT não nasceu para defender esse lado”. “Gostaria muito que cada parlamentar nosso tivesse consciência do que representa a história do nosso partido e respeitasse nossa decisão. Se não, escolham um lado. Se querem ficar do lado dos banqueiros, que assumam esse lado”, alfinetou, explicando que o partido assume o lado do trabalhador. “Nós queremos que nossa bancada vote do lado do trabalhador. Quem quiser escolher os banqueiros que passe de lado”, reforçou.

Posição
Diante da possível expulsão dos parlamentares da oposição que apoiaram a reforma, muitos partidos passaram a cortejar deputados como Tabata. “Tabata Amaral, o PSL está de braços abertos para você. Partido não vai faltar”, chegou a escrever o deputado Alexandre Frota (PSL-SP) no Twitter.

Líder do Cidadania na Câmara, Daniel Coelho (PE) também elogiou os dissidentes nas redes sociais. “Sempre fui adversário do deputado Felipe Carreras, mas tenho que reconhecer sua coragem em enfrentar o populismo irresponsável do PSB. Nessas horas dividimos os que so pensam em eleição, daqueles que tem compromisso público”, escreveu o parlamentar, que também parabenizou Tabata e Felipe Rigoni por terem enfrentado “seus partidos, o populismo e discurso fácil votando a favor da Previdência. “Mostraram que tem a coragem da juventude brasileira”, acrescentou Coelho. Muitos internautas também sugeriram a ida de Tabata para o Novo.

> Câmara aprova texto-base da reforma da Previdência

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Tributação de Google e Airbnb entra na mira do Congresso – Congresso em Foco

Convencidos de que muitas plataformas digitais pagam pouco ou nenhum imposto, dois parlamentares muito envolvidos …