Reforma tributária deve sair em 2019, dizem líderes – Congresso em Foco

Pesquisa exclusiva feita com os principais líderes do Congresso aponta boas chances  de aprovação da reforma tributária,tema de live que o Congresso em Foco promove nesta quinta (11).  Não se trata de manifestação fortuita de políticos em êxtase com o elevado ímpeto reformista que o plenário da Câmara acaba de exibir na votação das mudanças na Previdência.  

Os dados são de levantamento de campo feito entre 13 e 19 de junho pelo Painel do Poder, pesquisa trimestral realizada por este site, em parceria com a empresa In Press Oficina, com o objetivo de colher as percepções de quem manda no Congresso Nacional sobre diversos temas da conjuntura (abaixo, mais informações sobre a metodologia).

> Acompanhe ao vivo debate sobre a reforma tributária que pode sair do Congresso 

Convidados a dar uma nota de 1 a 5 para as chances de aprovação de “alguma proposta de reforma tributária até dezembro de 2019 pelo Congresso Nacional”, em que 1 seria a menor chance possível e 5 a probabilidade mais alta, mais de 57% dos líderes deram notas 4 ou 5. A média ponderada das respostas indicou uma nota significativa – 3,6.

Mas as duas maiores surpresas vêm da massiva adesão dos líderes a duas teses que jamais foram unanimidade no ambiente político ou econômico.

A primeira revelação inesperada: nada menos que 80,3% dos entrevistados concordam total ou parcialmente com a mudança central promovida pela PEC 45/2019, apresentada pelo deputado Baleia Rossi (MDB-SP). A mudança em questão é a reunião em um só tributo de três impostos federais (PIS, Cofins e IPI), um estadual (ICMS) e um municipal (ISS), todos incidentes sobre o consumo.

Baseada em proposta desenvolvida pelo economista Bernard Appy, a PEC 45/19 (veja a íntegra)  tem o objetivo anunciado de simplificar a cobrança desses impostos sem prejudicar qualquer uma das partes envolvidas – estados, municípios ou União.

Surpresa maior vem agora. Chega a 88,5% o apoio dos líderes do Congresso à ideia de “cobrar mais impostos diretos sobre a renda e o patrimônio dos ricos e menos impostos sobre a produção e o consumo das famílias”. O percentual indica forte inclinação a rever a maneira como a carga tributária é distribuída no país.

Nem por isso os líderes acreditam muito que o Legislativo venha a aprovar neste ano a tributação de lucros e dividendos de pessoas físicas. De novo usando a escala de 1 a 5, para determinar probabilidades de aprovação neste ano, a média ponderada ficou em 2,7 (abaixo da nota média, que seria 3).

Uma pergunta sobre a aguardada proposta do governo de desoneração da folha salarial das empresas, mediante criação de uma contribuição eletrônica sobre pagamentos, sugere que a ideia encontra modesta aceitação no Congresso. Só 16,4% dos líderes deram notas 4 e 5. A média ponderou ficou, como na questão anteriormente citada, em 2,7.

De acordo com a mesma escala de 1 a 5, os líderes deram as seguintes notas médias para as chances de aprovação no Congresso, ainda em 2019, das propostas abaixo listadas:

Autonomia formal do Banco Central – 3,2

Permissão para privatizar empresas estatais – 2,9

Desvinculação e desindexação das despesas do orçamento – 2,5

Novo pacto federativo entre União, estados e municípios – 2,3

Autorização para privatizar bancos públicos – 2,1

Essas e outras informações constam de relatório enviado na íntegra para contratantes do serviço (os interessados podem se manifestar pelo email congressoemfoco@congressoemfoco.com.br).

O trabalho se fundamenta, sob o aspecto metodológico, na técnica de painel. A amostra-base tem cerca de 100 parlamentares, categorizados como líderes por se enquadrarem em uma ou mais das seguintes situações: são líderes de fato de bancadas partidárias ou setoriais (ruralista, da bala, evangélica etc.); presidem comissões importantes; integram as mesas da Câmara ou do Senado; ou são porta-vozes de assuntos relevantes no debate parlamentar (como as temáticas ambiental e dos direitos humanos).

Nessa que foi a segunda onda de pesquisa de 2019 foram validadas 61 entrevistas, sendo 72% dos líderes ouvidos da Câmara e 28% do Senado. Apenas 30% dos entrevistados são dos seis partidos declaradamente de oposição: PT, PSB, PDT, Psol, PCdoB e Rede. O Congresso em Foco revelará ainda hoje outros dados importantes da pesquisa.

> Acompanhe ao vivo debate sobre a reforma tributária que pode sair do Congresso 

 

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Senado tenta solução jurídica para regulamentar prisão em segunda instância – Congresso em Foco

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tenta acordo com líderes partidários para construir um …