Cecaf fortalece agricultura familiar e muda vida de pequenos produtores em 4 anos de funcionamento

Todas as quintas-feiras e sábados são dias de feira na Central de Comercialização da Agricultura Familiar (Cecaf), localizada no bairro José Américo. O local, que é administrado pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), comemora neste mês de julho quatro anos de funcionamento, servindo como importante mecanismo de fortalecimento da agricultura familiar, ao reunir 130 agricultores de 28 municípios da Paraíba. No espaço, é possível encontrar alimentos de qualidade e com preços baixos.

Frutas, verduras, peixes, mariscos, aratu, camarão, goma, farinha de trigo, mandioca, coco ralado, leite e óleo de coco (100% naturais), queijos, manteiga, ovos e bolos são acessíveis a preços justos preços pelo consumidor por conta da relação direta do empreendimento com os produtores da agricultura familiar, como explica Rogeany Gonçalves, coordenadora da Cecaf.

“A gente visa combater o atravessador, uma figura que, além de desvalorizar o produto do campo, torna o agricultor invisível, sem conseguir sair da sua unidade produtiva para comercializar. Eles acabam vendendo suas mercadorias para essas pessoas por preços baixíssimos. Então, na Cecaf, o agricultor sabe sua margem real de lucro e o consumidor vai comprar um produto de qualidade e com preço justo”, disse.

Só este ano, de acordo com levantamento da Sedurb, a Cecaf comercializou mais de 576 toneladas de alimentos – o que torna possível projetar que as quase mil toneladas comercializadas durante todo o ano passado serão superadas em 2019. “Por feira, são cerca de 65 a 76 toneladas de alimentos comercializados em média. Este ano está sendo muito bom, os eventos de época como Festival do Milho, Semana do Pescado, entre outros, tiveram um grande sucesso”, comentou Rogeany Gonçalves.

Preços competitivos – Com a segurança de ter um espaço para comercialização dos seus produtos, os produtores podem apostar em preços bem competitivos para atrair os consumidores. Estes, por sua vez, cada vez mais atentos não só na economia, mas na qualidade do alimento que vão colocar na mesa. A partir daí, se estabelece uma relação de confiança. Everaldo Nunes, da cidade de Sapé, vende plantas medicinais enquanto sua mulher se encarrega de comercializar frutas e verduras.

“Os clientes sempre dizem que produto bom é produto saudável. Aqui eles encontram, porque não usamos agrotóxicos, queremos oferecer o melhor. Estamos num espaço onde é possível vender o melhor, e isso significa atender ao que o cliente procura”, disse o produtor e feirante, Everaldo Nunes, que está na atividade há cerca de vinte anos, mas só seis meses na Cecaf. “Agora que eu estou tendo o prazer de negociar meu produto com dignidade”, desabafou.

Como participar – Para comercializar na Cecaf, os produtores precisam ter declaração de aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e que são vinculados a cooperativas. Eliane Cristina de Oliveira está na Cecaf desde o início. Ela fala com orgulho dos seus produtos – manteiga da terra, nata, outros produtos derivados do leite, além de galinha de capoeira. “Aqui é nosso lugar, foi uma maravilha para os produtores da agricultura familiar, que precisavam de um espaço para vender”, disse a comerciante que vem da cidade de Campina Grande.

Entre os consumidores, o clima também é de satisfação. A cada feira, que acontece das 5h às 13h, o local recebe uma grande quantidade de pessoas, atraídas pelo diferencial da Cecaf, como explica a aposentada Maria Carmosa de Araújo. “Venho todas as quintas e sábados, para comprar os alimentos pra mim, minha filha e mais três netos. O principal aqui é a qualidade dos alimentos, não se estragam em poucos dias, tem muitas opções para quem faz uma dieta saudável, além do preço que eu acho muito bom”, contou.

Artesanato e gastronomia – A Cecaf dispõe ainda de cozinhas especializadas em comida regional e frutos do mar. São comercializados a partir de R$ 5,00, pratos como bode, galinha de capoeira, carne guisada, risoto de marisco, caldinhos de camarão e caranguejo, camarão ao alho e óleo, entre outros.

Também é possível encontrar uma grande variedade de produtos de artesanato, como toalhas, panos de prato, bonecas, jogo americano, além de mudas de plantas.

Reconhecimento – Este ano, o projeto da Central de Comercialização da Agricultura Familiar (Cecaf), foi responsável pelo prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor, na categoria Cooperação Intermunicipal. Além do reconhecimento à agricultura familiar, o prêmio também reconheceu o trabalho de formação e orientação junto aos agricultores, para auxiliá-los nas atividades de comércio e manuseio dos produtos.

Além de João Pessoa, a Cecaf recebe produtores de Mamanguape, Jacaraú, Fagundes, Puxinanã, Lucena, Pitimbu, Pedras de Fogo, Areia, Bananeiras, Baía da Traição, Itapororoca, Natuba, Remígio, Lagoa Seca, Pilar, Cruz do Espírito Santo, Mari, Monteiro, Conde, Alhandra, Caaporã, Rio Tinto, Itabaiana, Bayeux, Santa Rita, Cabedelo e São Miguel de Taipu.

Fonte: http://www.joaopessoa.pb.gov.br/cecaf-fortalece-agricultura-familiar-e-muda-vida-de-pequenos-produtores-em-4-anos-de-funcionamento/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Clube da Gente tem vagas abertas para jazz e balé – Prefeitura de Curitiba/PR

Passo a passo, na ponta dos pés, girando e saltando, a estudante Natalya Lauany Marcondes …