Senado pode analisar reforma da Previdência em 45 dias e incluir servidores estaduais em uma nova PEC — Senado Notícias


Senado pode analisar reforma da Previdência em 45 dias e incluir servidores estaduais em uma nova PEC

16/07/2019, 17h08

A reforma da Previdência (PEC 6/2019) deve ser votada no Senado no segundo semestre. O texto básico foi aprovado em primeiro turno na Câmara dos Deputados, em 10 de julho, com 379 votos favoráveis e 131 contrários. Os 12 destaques foram analisados e votados até o dia 12 de julho. Mas a proposta de emenda à Constituição ainda precisa passar por um segundo turno de votação dos deputados antes que esteja pronta para seguir para o Senado. Isso deve acontecer em 6 de agosto. Para o senador Humberto Costa (PT-PE) a proposta prejudica os mais pobres. Já o senador Marcelo Castro (MDB-PI) entende que o texto já é bem conhecido e pode ser votado rapidamente pelos senadores. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, estima que a tramitação da PEC 6/2019 pode ser concluída em um prazo de 45 dias. No Senado, já está sendo articulada uma nova proposta de emenda à Constituição para incluir servidores estaduais e municipais nas regras já estabelecidas para os servidores civis da União. Governadores pedem que o Senado faça essa inclusão, possibilidade que é considerada viável pelo senador Major Olímpio (PSL-SP). Veja mais detalhes sobre o que foi aprovado pela Câmara e as perspectivas da discussão no Senado. na reportagem da TV Senado.

Fonte Oficial: https://www12.senado.leg.br/noticias/videos/2019/07/senado-pode-analisar-reforma-da-previdencia-em-45-dias-e-incluir-servidores-estaduais-em-uma-nova-pec.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Edital do concurso do Senado está em fase de ajustes, explica comissão examinadora — Senado Notícias

O presidente da comissão examinadora do concurso público do Senado de 2020, Roberci Ribeiro, esclarece …