Eduardo embaixador é rejeitado por dois terços dos brasileiros – Congresso em Foco

A indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para o cargo de embaixador do Brasil nos EUA é rejeitada por 64% das pessoas que participaram do levantamento de opinião feito pela Paraná Pesquisa entre os dias 13 e 17 de julho. Quando perguntados se concordavam ou discordavam com o presidente Jair Bolsonaro em nomear seu filho para a embaixada, apenas 28,7% respondeu indicando concordância com a atitude.

Jair Bolsonaro confirmou a intenção de indicar seu filho para a embaixada do Brasil nos EUA na última sexta-feira (12), mas a indicação ainda não foi formalizada em mensagem presidencial ao Congresso. Na terça-feira (16), Bolsonaro voltou a comentar a intenção de indicar o filho Eduardo  como embaixador do Brasil nos Estados Unidos e também conversou por telefone com o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

“Ele se manifestou comigo no telefone dizendo que tinha o desejo de fazer essa indicação, que tinha confiança no Eduardo Bolsonaro e perguntou se no Senado haveria alguma restrição e eu disse pra ele que não cabe ao Senado restringir uma indicação do presidente da República”, relatou Alcolumbre. O presidente do Senado afirmou também que Eduardo, caso realmente seja indicado, será sabatinado normalmente pela Comissão de Relações Exteriores.

>Outras seis embaixadas aguardam aprovação de nome pelo Senado

A pesquisa ouviu 2118 pessoas por entrevistas telefônicas em 26 Estados e no Distrito Federal, em 160 municípios. A margem de erro estimada é de dois pontos percentuais.

A maior discordância em relação à atitude do presidente de indicar seu filho para a embaixada foi registrada entre as mulheres, 66,2%; e entre as pessoas com ensino superior, 70,1%. Por outro lado, o maior índice de concordância foi entre os homens, 31,8%; e entre as pessoas com escolaridade até o ensino fundamental, 30,1%.

A intenção de indicar Eduardo Bolsonaro para o cargo tem sido amplamente criticada. Em entrevista ao Estado de S. Paulo nesta quarta-feira (17), o ex-embaixador do Brasil nos EUA e ex-ministro da Fazenda Marcílio Marques Moreira afirmou que espera que a indicação seja revista. Ele comentou que “uma característica da embaixada é ser liderada por alguém que se distinga – no Brasil e no exterior – como uma figura importante da cultura, da economia ou da política brasileira”.

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também avaliou como “imprópria” a intenção de Bolsonaro e o Olavo de Carvalho, considerado mentor intelectual da família e do governo Bolsonaro, foi outro que pediu que Eduardo recuse a indicação.

>Indicação de Bolsonaro é demérito para o Itamaraty, dizem diplomatas

>Projeto tenta barrar filho de Bolsonaro em embaixada

 

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Relator diz que MP da liberdade econômica será votada nesta terça – Congresso em Foco

O relator da Medida Provisória da Liberdade Econômica, deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS), que a …