Horta Santa Cecília é requalificada para atender 25 famílias – Prefeitura de Curitiba/PR

A horta comunitária Santa Cecília II, no Tatuquara, passou por um processo de requalificação. Ao todo foram recuperados 250 canteiros, que já contam com diversas plantações de hortaliças. 

Em uma área 7 mil metros quadrados, foram colocados pelo município 1.280 metros cúbicos de terra preta, o que equivale a mais de 100 caminhões caçamba simples. 

A Horta Comunitária Santa Cecilia II faz parte de uma parceria da Prefeitura de Curitiba, que deu o apoio técnico, maquinário e terra nova, com o Governo do Estado, que disponibilizou adubos, sementes, mudas e calcário, e a Eletrosul que cedeu o terreno para execução da horta. O cultivo beneficia diretamente 190 pessoas de 25 famílias da região.

 

O secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN), Luiz Gusi, destacou que em dois anos já foram inauguradas quatro hortas comunitárias (Cajuru, Alto Boqueirão, Fazendinha e Pinheirinho).

“Atualmente, são 27 áreas cultivadas por produtores urbanos, beneficiando mil famílias e cerca de 6,3 mil pessoas, entre agricultores, familiares e pessoas que ganham ou adquirem os alimentos das hortas”, reforçou o secretário.

É o caso da família Zardonardi, que há seis anos se alimenta da produção da Horta do Santa Cecília II. O vendedor José Carlos Zardonardi disse que cultiva de alface a morango, passando por almeirão, beterraba, temperos, abobrinha, abóbora, rabanetes, cebola, ervilha e acelga, além de outras hortaliças que variam conforme a estação do ano. 

José conta que seus netos se alimentam da produção, que não contém agrotóxico e possui adubos orgânicos (como esterco de galinha ou de vaca). “Minha neta pequena e o Luiz Felipe comem o morango direto da plantação”, disse o avô orgulhoso, que estava com o neto Luiz Felipe Zardonardi o ajudando na limpeza do canteiro.

 

Quem também se alimenta da horta comunitária é o Cleozir dos Santos, coordenador da horta Santa Cecília II. Plantando alface, repolho, rúcula, cebola e temperos, ele conta que sua produção é consumida por seus familiares e amigos, que recebem doação. 

Ele conta que há dois anos coordena a horta e busca mobilizar as famílias para que ajudem no cultivo e também passem a comer comida saudável. “Comida que vem desta horta faz bem para as famílias, pois não tem veneno”, garantiu.

Premiação

O programa de hortas comunitárias integra o Programa Agricultura Urbana, que recebeu no ano passado o reconhecimento do Governo Federal, com o 2º lugar na primeira edição do Prêmio ODS Brasil. Este prêmio tem por objetivo incentivar, valorizar e dar visibilidade a práticas que contribuam para o alcance dos objetivos e metas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável no território brasileiro. A Agenda 2030 da ODS faz parte de um Protocolo Internacional assinado por 193.


Horta resgata os costumes dos moradores que vieram do Interior do Paraná

Cada uma das 27 comunitárias de Curitiba recebe o apoio da equipe técnica da Secretária Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional (SMSAN). A Horta Comunitária Santa Cecília II conta com o auxílio da engenheira agrônoma Lillian Fernanda de Macedo, que também cuida de outras 20 hortas comunitárias da cidade. Somente no Tatuquara existem 18 hortas comunitárias.

 

Lillian disse que os agricultores urbanos recebem informações sobre os plantios das hortaliças, o uso de adubos e a melhor época de plantio de determinadas plantas. “Muitos tem uma relação com o campo por terem vividos no Interior e trabalhado em lavouras”, afirma. 

É o caso de seu Hernandes Glória Rosa, que é aposentado e veio de Clevelândia, onde a família vivia do campo. “Hoje, mais velho, resgatei o meu passado na roça. Passo o dia aqui, cultivando rúcula, alface, repolho e outras plantas. Voltar a plantar foi uma forma de melhorar a minha saúde”, conta o aposentado, que recentemente enfrentou um câncer de próstata.

Quem também resgatou as suas origens do campo foi José Carlos Zardonardi. Ele conta que veio com a família de Umuarama e que agora, além de plantar o que consome, também faz conservas da parte excedente do plantio, repetindo um ritual dos seus antepassados. “Se sobra abóbora ou cebola, vira conserva, igual meus parentes faziam”, disse.

Cleozir dos Santos, que coordena a horta comunitária Santa Cecília II, disse que já plantava quando era mais jovem em Campo Mourão, onde mora parte de sua família. Ele disse que esta habilidade de plantar o ajudou a trabalhar em parceria com a Prefeitura de Curitiba na revitalização da horta no Tatuquara.

Fonte Oficial: https://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/horta-santa-cecilia-e-requalificada-para-atender-25-familias/51681.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Curitibinhas discutem educação no trânsito e uso da bicicleta – Prefeitura de Curitiba/PR

Estudantes do 5° ano da Escola Municipal Sady Souza, no Sítio Cercado, vão percorrer as …