Veto a Bilhete Único a autor de crime sexual em transporte coletivo é tema de projeto de lei


JOTA ABREU

Usuários do transporte coletivo que cometerem crimes sexuais podem ser proibidos de ter acesso ao Bilhete Único municipal. A proposta faz parte do PL (Projeto de lei) 606/2017, de autoria do vereador Rinaldi Digilio (PRB), e está em tramitação na Câmara Municipal de São Paulo.

O PL prevê o cancelamento do Bilhete Único, proibindo o seu uso, venda e emissão a quem tiver cometido crime dessa natureza em equipamento do transporte público. Segundo Digilio, a ideia é “oferecer mais segurança aos usuários, principalmente às mulheres e crianças, tendo em vista o Código Penal”.

Na justificativa do projeto, o vereador destaca que, apenas no ano de 2016, foram registrados 188 relatos de abusos de cunho sexual em trens e 31 em ônibus, o que significa média de quatro casos semanais, além dos não notificados. “Nas ocorrências entre 2013 e 2016, as denúncias saltaram de 23 para 219 em ônibus municipais, trens do metrô e da CPTM. São crimes como atos obscenos, importunação ofensiva ao pudor e estupros de pessoas vulneráveis, com aumento de 800% no período”, alerta o documento.

Acompanhe aqui outros projetos em tramitação de autoria do vereador Rinaldi Digilio. No link você também poderá obter os canais de comunicação do parlamentar e participar diretamente do mandato por meio de propostas, sugestões ou recebendo informativos através do formulário Fale com o Vereador.

 

Fonte Oficial: http://www.saopaulo.sp.leg.br/blog/veto-a-bilhete-unico-a-autor-de-crime-sexual-em-transporte-coletivo-e-tema-de-projeto-de-lei/.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Plano Diretor do Parque Ibirapuera será discutido em audiência pública

Atualizado em (12/08/2019 – 21h59) | Audiência Pública, Comissões, Geral, Notícias, Política Urbana, Projetos …