Mães de autistas começam a ser orientadas para atividades com filhos – Prefeitura de Curitiba/PR

Um grupo de dez mães de crianças autistas começou a ser treinado nesta quarta-feira (14/8) para engajar os filhos em atividades do dia a dia e brincadeiras. O Programa Internacional de Capacitação de Familiares e/ou Cuidadores de Crianças com Atraso no Neurodesenvolvimento/Autismo é uma parceria da Prefeitura de Curitiba com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Fundação Autism Speaks e a ONG local Ico Project.

As mães são capacitadas por quatro profissionais – dois servidores da Secretaria Municipal da Saúde e dois da Ico Project, a terapeuta ocupacional Larissa Bindo e a fonoaudióloga Edilici Malucelli.

“Damos orientações que ajudam os pais a estimular as crianças”, diz o psicólogo Eduardo Cassanho de Oliveira, coordenador da Linha de Cuidado do Autismo da secretaria.

“Este programa é essencial”, afirma a analista de Departamento Pessoal Elisangela Pilar Reis, mãe de Júlia, de 5 anos, voluntária na capacitação dos especialistas, realizada pela OMS desde o ano passado, quando o município firmou a parceria. “Estou aprendendo bastante. Por exemplo: antes, a Júlia só apontava para o que queria, sem falar nada. Aí, passei a dar opções, como água e suco, e ela começou a verbalizar”, conta.

As mães também são orientadas para identificar crises de acordo com o comportamento dos filhos, uma vez que confundir birra com agitação é comum. A estudante Yasmin Roberta Fernandes, mãe de Miguel, quatro anos, já aprendeu a lidar com essa situação: “Eu percebo que meu filho faz birra quando finge dor ou que está doente. Quando está agitado ele se bate”, conta ela.

Segundo Eduardo, o esforço dos pais faz toda a diferença na melhora do desenvolvimento dos filhos. Para o psicólogo, o importante é demonstrar, para o autista, que a família o aceita e o ama.

O encontro no Centro de Especialidades Médicas Enccantar foi o primeiro de nove sessões dos especialistas com os pais. Antes, eles visitaram as famílias.

Pioneirismo

Curitiba foi a primeira cidade do mundo a firmar diretamente essa parceria com a OMS, em março de 2018 – hoje, há 30 países no programa. Até então, os convênios eram feitos entre a OMS e governos federais.

Eduardo e Cláudia Rabel, psicóloga do Ambulatório Enccantar, são os facilitadores que vão capacitar outros profissionais para atuar na Atenção Primária da Saúde.

Com isso, os facilitadores serão multiplicadores do processo. O objetivo é estender a capacitação a todos os pais e cuidadores de crianças entre 2 e 9 anos com Transtorno do Espectro Autista de Curitiba no prazo de cinco anos. Serão priorizadas famílias de regiões de alta vulnerabilidade da cidade.

Fonte Oficial: https://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/maes-de-autistas-comecam-a-ser-orientadas-para-atividades-com-filhos/52035.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Novo site tem agendamento para castrações no Bairro Novo, Cajuru e CIC – Prefeitura de Curitiba/PR

Estão abertos no novo site da Rede de Proteção Animal da Prefeitura os primeiros agendamentos …