OAB defende sanção da lei do abuso de autoridade – Congresso em Foco

O Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) saiu em defesa do projeto de lei que criminaliza o abuso de autoridade nesta segunda-feira (19). A entidade acredita que o projeto representa um avanço para as garantias do direito de defesa e para a valorização dos advogados e, por isso, deve ser sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro, que, no entanto, tem sido pressionado por outras entidades e políticos para vetar trechos da proposta.

>Lava Jato critica e juízes querem veto ao projeto de abuso de autoridade

“O plenário do Conselho Federal da OAB aprovou, nesta segunda-feira, por unanimidade, uma moção de apoio ao projeto de lei que criminaliza a violação das prerrogativas dos advogados. A medida foi votada e aprovada pelas duas casas legislativas e aguarda sanção presidencial. A OAB Nacional afirma que a sanção da nova norma é fundamental, e contará com a mobilização da advocacia”, informou em nota o Conselho Federal da OAB, que reúne 81 representantes das representações estaduais da Ordem e classificou o projeto como “uma das principais propostas legislativas apoiadas pela advocacia”.

O projeto de lei 7596/17, que foi aprovado pela Câmara dos Deputados na semana passada e agora aguarda sanção presidencial, define os 37 crimes de abuso de autoridade que podem ser cometidos por servidores públicos e membros dos Três Poderes. Entre eles, estão obter provas por meios ilícitos; executar mandado de busca e apreensão de forma ostensiva para expor o investigado; impedir encontro reservado entre um preso e seu advogado; e decretar a condução coercitiva de testemunha ou investigado sem intimação prévia de comparecimento ao juízo.

A OAB acredita, portanto, que o projeto de lei criminaliza a violação das prerrogativas dos advogados e, consequentemente, dos cidadãos. Por isso, também vai enviar “uma manifestação de congratulações e apoio pela aprovação no Congresso da medida” ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Mesmo assim, o projeto deve sofrer vetos de Bolsonaro. É que diversas entidades e políticos divergem da OAB e pediram que o presidente suprima alguns trechos da proposta. Entre eles, a Associação dos Magistrados Brasileiros, os procuradores da Operação Lava Jato e a bancada da bala, o que fez o presidente Jair Bolsonaro se reunir com o ministro Sergio Moro, nesta segunda, para avaliar possíveis vetos ao projeto.

> Bolsonaro diz que vai ouvir ministros sobre vetos a abuso de autoridade

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Presidente da CCJ quer parecer sobre autonomia da PF em setembro – Congresso em Foco

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados, Felipe Francischini …