MPF questiona ministério do Meio Ambiente sobre revisão de dados do Inpe – Congresso em Foco

O Ministério Público Federal enviou nesta sexta-feira (23), aos ministérios do Meio Ambiente, da  Ciência e Tecnologia e à nova direção do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), ofícios requerendo se há informações que possam colocar em dúvida a fidedignidade dos dados apresentados pelos sistemas de monitoramento do desmatamento no Brasil apresentados pelo instituto.

As informação são do site do MPF.

A representação é de autoria do coordenador do Grupo de Trabalho de Mudanças Climáticas da 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do (Meio Ambiente), procurador da República Luís Eduardo Marrocos de Araújo.

Por conta dos dados sobre o crescimento do desmatamento, Ricardo Galvão foi demitido no dia 2 de agosto pelo presidente Jair Bolsonaro  do comando do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

> Marina Silva: Marcos Pontes devia ter saído do governo para defender o Inpe

A intenção é saber o que o governo federal está fazendo para cumprir a Lei de Política Nacional sobre Mudança do Clima, de 2009, o Acordo de Paris, ratificado pelo poder executivo em 2017, e, em especial, o compromisso do Brasil com as Nações Unidas sobre Mudança do Clima, assinado em setembro de 2015, no qual o país fixou suas metas de redução da emissão de gases do efeito estufa para os próximos anos (redução em 37% abaixo dos níveis de 2005, em 2025, e de 43% abaixo dos níveis de 2005, em 2030).

Também foram questionados os ministérios das Minas e Energia e o da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Dados do Programa de Queimadas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que houve um aumento de 83% no número de incêndios florestais no Brasil entre 1º de janeiro e 19 de agosto de 2019 e o mesmo período do ano passado, que saltou de 39.759 para 72.843 queimadas no país.

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Maia quer usar fundo da Petrobras na Amazônia – Congresso em Foco

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), quer que parte dos R$ 2,5 bilhões do …