Sem consultar Inpe, Ibama usa sistema de empresa visitada por Salles – Congresso em Foco

O Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais e Renováveis (Ibama) usou sistema de uma empresa privada que teve reuniões com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para justificar a abertura de um processo de licitação de novo serviço de monitoramento por satélite de desmatamento.

A informação está em documentos obtidos pelo jornal O Globo. Em reportagem publicada nesta quinta-feira (5), o jornal mostra que o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) não foi consultado pelo Ibama.

O órgão do Ministério do Meio Ambiente abriu no mês passado um processo de chamamento, fase anterior à licitação, para a contratação do novo produto de monitoramento do desmatamento.

Atualmente, o Inpe usa o Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter) e o Sistema de Monitoramento da Amazônia Legal (Prodes).

O primeiro fornece dados e alertas sobre o desmatamento para ações do Ibama e o segundo calcula todo ano a área desmatada.

O sistema Planet, usado pelo Ibama para justificar uma nova contração, é oferecido pela Santiago & Cintra.

Em junho, o jornal Folha de S.Paulo  informou que a empresa reuniu-se com Salles pelo menos duas vezes em 2019.

Crise no Inpe

Por conta dos dados sobre o crescimento do desmatamento, Ricardo Galvão foi demitido no dia 2 de agosto pelo presidente Jair Bolsonaro  do comando do Inpe.

No começo de julho, o Inpe apontou que o desmatamento no Brasil foi de 75 quilômetros quadrados e cresceu 8,5% no ano de 2018.

>Zema critica mudança de índices oficiais como desmatamento

No dia 21 de julho, o presidente Jair Bolsonaro criticou o Inpe e declarou que os dados sobre desmatamento fazem “campanha contra o Brasil”. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Ricardo Galvão disse que “Bolsonaro é um covarde”.

Em seguida, Marcos Pontes convocou Galvão para prestar esclarecimentos sobre as declarações dada a imprensa. O ex-diretor do Inpe acabou demitido do cargo. Desde então a crise ambiental só cresceu no governo Bolsonaro e alcançou dimensão internacional, com direito a discussões públicas com o presidente francês, Emmanuel Macron.

> Desmatamento cresceu 8,5% em 2018, aponta Inpe

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Alcolumbre cogita votação da reforma da Previdência na próxima semana – AASP

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, trabalha com a possibilidade de o plenário da Casa …