Curitiba está alinhada com ações da Organização Mundial de Alimentos – Prefeitura de Curitiba/PR

As ações da Prefeitura de Curitiba, na área de segurança alimentar, estão dentro das metas mundiais da FAO/ONU – Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura. Durante a palestra do representante da FAO, Rafael Zavala, ele destacou, nesta sexta-feira (6/9), que a capital paranaense adota o processo moderno, que pensa no fortalecimento da agricultura familiar como instrumento de fomento e desenvolvimento sustentável.

Zavala participou do debate Produção Familiar – A Revolução Silenciosa e Sustentável da Agricultura Brasileira, ao lado do secretário municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, Luiz Gusi, e de Kleber Santos, presidente da Confederação dos Engenheiros Agrônomos do Brasil (Confaeab). O debate faz parte Fórum de Agricultura da América do Sul, que termina na tarde desta sexta-feira no Museu Oscar Niemeyer, promovido pela Gazeta do Povo, com o apoio da Prefeitura de Curitiba.

Zavala disse que as ações de Curitiba casam com o que a FAO/ONU está promovendo em 2019. A instituição internacional lançou neste ano o projeto “Década da Agricultura Familiar”. Segundo ele, programas municipais de compra direta da produção agrícola local e de introdução de cooperativas familiares na cadeia de fornecimento do Armazém da Família fortalecem o ambiente produtivo local, gerando emprego, além de sustentabilidade ambiental e financeira.

Durante o debate, o secretário Gusi mostrou como a Prefeitura de Curitiba usa a segurança alimentar como ferramenta de sustentabilidade da produção local e também como mecanismo de controle da qualidade alimentar na cidade. Ele deu como exemplo o Armazém da Família, que compra diretamente 21 produtos de cooperativas e produtores da Grande Curitiba para vender com desconto de até 30% para 260 mil famílias da capital e 50 mil da região metropolitana.

Gusi ressaltou as ações da Prefeitura de Curitiba para estimular a melhoria da qualidade da produção local, como a tangerina poncã, produzida no Vale do Ribeira. Esta região abastece as escolas municipais de Curitiba com suco de tangerina e suco de melancia, além de produzirem óleo essencial do produto. Os sucos hoje abastecem as 275 mil merendas servidas diariamente.

Outra ação destacada por Gusi é a ocupação dos espaços vazios para a implantação de hortas comunitárias. O secretário explicou que este tipo de ação ajuda no processo de melhorar a qualidade alimentar das famílias e também preservar o meio ambiente, ocupando locais abandonados, que viravam depósitos de lixo e entulhos.

O representante da Confeab, Kleber Santos, destacou que as ações da Prefeitura de Curitiba vão ao encontro de um projeto da Confederação dos Engenheiros que pretende valorizar e melhorar a produção da agricultura familiar no Brasil. Santos considerou positivo o programa de hortas comunitárias e também a proposta da Fazenda Urbana, que será um centro de referência na agricultura urbana, capacitando gente para montar hortas comunitárias. ”Os exemplos mostrados pela Prefeitura de Curitiba podem ser replicados pelo Brasil”, disse.

Fonte Oficial: https://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/curitiba-esta-alinhada-com-acoes-da-organizacao-mundial-de-alimentos/52459.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Região do Praia de Belas vai receber a nova Área Azul Digital

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) informa que, nesta sexta-feira, 6, começa a …