STF investe em novas tecnologias para garantir mais agilidade à prestação jurisdicional – STF

Os investimentos feitos pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em inteligência artificial corroboram as diretivas da gestão do presidente Dias Toffoli em tornar mais célere o julgamento dos processos, tendo como resultado maior eficiência, economia e racionalidade à atuação do Tribunal junto à sociedade.

“O Poder Judiciário precisa relacionar-se com a potencialidade das ferramentas disponíveis buscando otimizar processos, aprimorar atividades e ajustar-se à Era Digital tornando-se rápido, dinâmico e interativo”, ressalta o diretor-geral do STF, Eduardo Toledo.

A secretária-geral da Presidência, Daiane Nogueira de Lira, cita como uma das conquistas do Supremo a modernização do sistema de julgamento virtual. “Essa medida permite a votação online de todos os tipos de processos e incidentes processuais e seu acompanhamento, em tempo real, quanto à conclusão dos votos dos ministros no site. Hoje 94 por cento dos processos na Corte tramitam em meio eletrônico ”, revelou.

Para a efetivação da migração papel-bits, o STF realizou convênio com associação de pessoas com deficiência para a digitalização de mais de 90 milhões de páginas, viabilizando uma melhor gestão arquivística e documental do acervo do STF.

O Tribunal também ampliou as categorias de processos que podem ser julgados em meio virtual, com adoção de medidas em prol da transparência e da publicidade. As conclusões dos votos dos ministros podem, agora, ser acompanhadas em tempo real pela internet, por força de norma aprovada em junho e que determina a disponibilização automática no site do STF do resumo dos julgamentos pelo Plenário Virtual.

De setembro de 2018 a setembro deste ano, o Plenário julgou 3.046 processos nas 41 sessões virtuais realizadas. No período, foram incluídos no plenário virtual 55 novos temas, dos quais 42 tiveram repercussão geral reconhecida e 13 negada. Dos 42 temas com repercussão geral reconhecida, em oito houve reafirmação de jurisprudência.

Os avanços tecnológicos incluem a ampliação da consulta processual, com inserção de pesquisa sobre apensos, processos principais e processos de interesse; e a migração das funcionalidades do sistema de autuação para o STF Digital. Além disso, mais de 80% da comunicação do Supremo com outros órgãos já são realizados de forma eletrônica.

O Supremo Tribunal Federal também lançou o Plano Transformação Digital – estratégia institucional para viabilizar uma revolução tecnológica orientada às competências constitucionais do Tribunal. Um plano que envolve todas as áreas do STF direcionado a uma prestação jurisdicional mais eficiente e efetiva.

“Todas as ações adotadas pelo Tribunal otimizam o trabalho realizado pelo corpo técnico e proporcionam uma melhor e eficiente prestação jurisdicional que, em última análise, beneficiará toda a sociedade brasileira”, disse a secretária-geral. Daiane Lira reforçou o que o presidente Dias Toffoli afirmou quando foi empossado: ‘O virtual agora é real’.

Assessoria de Comunicação da Presidência

Leia mais:

10/09/2019 – Supremo fortalece relações entre os Poderes e a sociedade

10/09/2019 – Reunião de Cortes Supremas do BRICS no Brasil é o ponto alto da agenda internacional do STF em 2019

Fonte Oficial: http://www.stf.jus.br/portal/cms/verNoticiaDetalhe.asp?idConteudo=423423.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Mantido júri de arquiteta acusada de mandar matar os pais em Brasília – STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido de anulação da …