Idosos dançam e se divertem em baile com clima de matinê – Prefeitura de Curitiba/PR

Uma balada à tarde e que termina antes de anoitecer. Em outros tempos isso seria chamado de matinê e, em geral, era voltada para adolescentes. Na tarde desta sexta-feira (27/9), o Baile da Melhor Idade da Regiona Cajuru foi uma matinê para maiores de 60 anos, que começou às 14h no Centro de Esporte e Lazer Vila Oficinas, no Cajuru e animou a tarde de quem chegou à terceira idade.

Tendo música e mais gente disposta a bailar era o lugar certo para o casal Eugenia de Barros, 71 anos, e Braulino Domingos Luis, 74 anos, manterem a tradição de dançarem juntinhos, como fazem desde que se conheceram, há seis anos, na pista de dança. 

Ele, ferroviário aposentado e ela, costureira, é com a dança nos bailes que mant~emm a animação, o espírito rejuvenescido e o corpo desenferrujado para os passos de forró, bolero, sertanejo e o que mais tocar. 

“Dançando parece que tudo melhora, parece que volto a ter 18 anos. Eventos como esse são maravilhosos. E para a terceira é ainda melhor, porque dançar movimenta o corpo todo”, diz Eugênia. 

Baile aguardado

Além do casal, outras 150 pessoas compareceram ao evento, com participantes dos grupos de atividades físicas dos Centros de Esporte e Lazer da Regional Cajuru – os da Rua da Cidadania, Centro da Juventude Audi União, Centro e Esporte e Lazer Vila Oficinas, e Centro de Iniciação ao Esporte do Parque dos Peladeiros, da Rua da Cidadania do Cajuru, além dos participantes das atividades dos CRAS União, Acrópole, Cajuru e Iguaçu. 

Organizado pela Secretaria Municipal do Esporte, Lazer e Juventude (Smelj) em parceria com Fundação Cultural de Curitiba (FCC) e a Fundação de Ação Social (FAS), o objetivo da promoção do baile – que acontece em nas dez regionais da cidade – é que as pessoas se confraternizem em um momento de lazer e descontração, explica o chefe do núcleo da Smelj na Regional Cajuru, Helton Diogo Mallo Stais. 

“Um encontro desses, com música, dança, diversão proporrciona o bem-estar físico social e psicológico e beneficia a saúde das pessoas mais velhas”, acrescenta Stais. 

Frequentadora do CRAS Cajuru, a dona de casa Marilene Sachet, 73 anos, conta que ela e as amigas aguardaram por duas semanas pelo dia do baile. 

“É um ótimo momento para reunir os amigos, fazer novos amigos, se divertir, aproveitar a liberdade desta etapa da vida, que é realmente a melhor idade quando se aprende a vive-la”, fala. 

Com um arranjo de flores no cabelo e um vestido escolhido a dedo, ela não foi a única que escolheu com carinho a roupa para aproveitar a matinê. Sapatos com pedrarias, xales, vestidos floridos ou com brilho para elas; sapatos engraxados gravatas, chapéus para eles. 

Rei e Rainha do Baile 

O cuidado não foi à toa. A ocasião realmente pedia: além de ser uma tarde festiva, alguns deles desfilaram para a disputa do Rei e Rainha do Baile. Nos desfiles, tiveram de conquistar a torcida e o júri nos quesitos impatia, desfile, garbo, desembaraço e encanto. 

Entre as mulheres, a eleita a rainha do baile foi a aposentadaVera Lúcia Jaszczerski, 64 anos, que pratica atividades físicas no Cejuv Audi União e no Parque dos Pedaleiros.

Entre os homens, o aposentado Ademir Manfroi, 66 anos ficou com a coroa de rei. “Participei como uma forma de contribuir para essa brincadeira, mas é claro que a fico muito feliz em ganhar, disse Manfroi, que pratica pilates na Rua da Cidadania do Cajuru. 

Ambos vão representar a Regional Cajuru no Baile do Rei e Rainha da Melhor Idade de Curitiba. 

Fonte Oficial: https://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/idosos-dancam-e-se-divertem-em-baile-com-clima-de-matine/52884.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Curitibinhas discutem educação no trânsito e uso da bicicleta – Prefeitura de Curitiba/PR

Estudantes do 5° ano da Escola Municipal Sady Souza, no Sítio Cercado, vão percorrer as …