Suspeitos de hackear Moro e Deltan ficarão presos por tempo indeterminado – Congresso em Foco

Os dois suspeitos de hackear o celular de autoridades, que cumpriam prisão temporária desde o dia 19, tiveram a prisão preventiva decretada. Luiz Molição e Thiago Eliezer Martins foram presos na operação Spooging e deveriam ser soltos até este domingo (29), mas com a prisão preventiva decretada, não existe mais prazo para a soltura.

> Acordo de Alcântara trará avanços, mas tirará 800 famílias de suas terras

A operação apura as invasões dos telefones de pessoas ligadas à Lava Jato, como o ex-juiz e hoje ministro Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol. Na primeira fase da operação quatro pessoas foram presas.

Walter Delgatti Neto, foi um dos presos na primeira fase e ele afirmou ser o responsável pelo envio mensagens da Lava Jato para o site The Intercept Brasil, o que deu início a série de reportagens conhecida como Vaza Jato.

Além do desgaste político ao ministro da Justiça Sergio Moro e aos procuradores do Ministério Público, os vazamentos também ocasionaram muitos embates dentro do Congresso Nacional. O mais recente deles é a tentativa de abrir a chamada CPI da Lava Jato, para investigar o conteúdo das mensagens divulgadas.

> Entre agora no Catarse para colaborar  com o jornalismo independente

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!

Continuar lendo em Congresso em Foco.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

Para Augusto Aras, atitude de Rodrigo Janot não deve macular o MPF – Congresso em Foco

Por Erick Mota Em 28 set, 2019 – 13:57 Última Atualização 28 set, 2019 …