TJSP encerra implantação do Portal de Custas – AASP

Missão cumprida com mais segurança e transparência.

– Emissão de guias para pagamento de taxas processuais e depósitos judiciais em um único local;

– Sistema permite acesso a magistrados e servidores do Tribunal de Justiça de São Paulo para consulta de saldos das contas judiciais e emissão de mandados de levantamento eletrônicos.

 

O Tribunal de Justiça de São Paulo encerrou, na segunda-feira (30), a implantação do Portal de Custas, desenvolvido em conjunto com o Banco do Brasil, para integração de seus sistemas e comunicação com os sistemas da Secretaria da Fazenda Estadual e do e-SAJ.

O Portal de Custas concentra, em um único lugar, os canais de entrada e de saída de valores de forma eletrônica e transparente. Esse modelo dá mais segurança às partes, aos advogados e ao Judiciário, porque evita o envio de ordens de transferência eletrônica ao banco por simples ofício – ato sujeito a fraudes e que pode causar enormes prejuízos aos envolvidos.

Para a implantação do projeto – que envolveu o trabalho de duas gestões na CGJ (2016/2017 e 2018/2019) – o levantamento de valores foi introduzido de forma gradativa nas unidades judiciais de todo o Estado, cautela necessária que possibilitou ajustes no sistema para o bom funcionamento da ferramenta, sem prejuízo às partes e aos jurisdicionados. O cronograma de implantação teve o acompanhamento da Presidência (na parte tecnológica) e da Corregedoria-Geral da Justiça (no monitoramento do impacto nas unidades).

        Como funciona – Basta que o advogado indique os dados bancários na petição que solicita o levantamento de valores, sem necessidade de comparecimento ao balcão do cartório para retirada da guia física e posterior entrega ao Banco do Brasil. A medida poupa tempo dos advogados e diminui os atendimentos prestados nas unidades judiciais, o que permite que os servidores se dediquem a outras atividades cartorárias.

O Mandado de Levantamento Eletrônico (MLE) é confeccionado pelos servidores das unidades judiciais de forma rápida e eficiente, porque alguns dados são colhidos automaticamente dos processos. Com a assinatura do mandado pelo magistrado, por meio de Certificado Digital, é realizada a transferência eletrônica de valores de forma imediata na conta bancária da parte ou do advogado, conforme o caso. A expedição do MLE é obrigatória para depósitos judiciais realizados a partir de 1º/3/17. Para os depósitos anteriores, são expedidos Mandados de Levantamento Judiciais (MLJ).

Estatísticas:

– São expedidos mais mandados eletrônicos do que físicos: 52,2% de resgates via interligação (MLE) e 47,8% de resgates manuais (MLJ), dados colhidos até 27/9, antes da última expansão;

– Se considerarmos apenas as varas interligadas, o percentual de resgates eletrônicos sobe para 64,9%;

– Em todo o Estado são gravadas mais de 1000 ordens de transferência por dia em todo o Estado;

– Até o momento, foram movimentados mais de 6 bilhões de reais por meio de mandados de levantamento eletrônicos.

 

        Cronograma – O projeto-piloto começou em 1º/3/17 (Comunicado CG nº. 1526/17), quando todos os depósitos judiciais e recolhimentos de custas processuais passaram a ser feitos, obrigatoriamente, por meio do Portal de Custas.

Na mesma data, a ferramenta do mandado de levantamento eletrônico (MLE) foi implantada em todos os Juizados Especiais da Capital, com expansão para os Foros Regionais de Pinheiros, Butantã, Ipiranga e Nossa Senhora do Ó, todos da Capital. Essa etapa se encerrou em 16/10/17. Nos dois anos seguintes (2018 e 2019), outras unidades judiciais foram alcançadas pela expansão:

 

FORO/COMARCA COMUNICADO CONJUNTO Nº DATA
Guarulhos e Osasco 687/18 23/4/18
Foro Central Cível (João Mendes Júnior) 1731/18 10/9/18
Foros Regionais de: Santana, Santo Amaro, Jabaquara, Lapa, São Miguel Paulista, Penha de França, Itaquera, Tatuapé e Vila Prudente 2059/18 29/10/18
Comarcas da 1ª Região Administrativa Judiciária – São Paulo, além do Foro Central da Fazenda Pública, Varas das Execuções Fiscais Municipais, Varas das Execuções Fiscais Estaduais, Setor de Perícias Acidentárias da Capital, Varas da Infância e Juventude Infracional da Capital e DEIJ 2205/18 21/11/18
Unidades pertencentes ao 2º Grau 171/18 21/11/18
Comarcas da 2ª RAJ – Araçatuba 404/19 25/03/19
Comarcas da 3ª RAJ – Bauru e da 5ª RAJ – Presidente Prudente 749/19 1º/7/19
Comarcas da 4ª RAJ – Campinas 915/19 15/7/19
Comarcas da 6ª RAJ – Ribeirão Preto 1514/19 16/9/19
Comarcas da 7ª RAJ – Santos e da 8ª RAJ – São José do Rio Preto 1514/19 23/9/19
Comarcas da 9ª RAJ – São José dos Campos e da 10ª RAJ – Sorocaba 1514/19 30/9/19

 

As unidades que compõem o Foro Criminal Central da Capital estarão habilitadas a utilizar o mandado de levantamento eletrônico no mês de outubro de 2019.

        Outras melhorias – Outras ferramentas estão em desenvolvimento no Portal de Custas como, por exemplo, a identificação do depósito na conta de destino, expedição de mandado de levantamento eletrônico para as contas judiciais que recebem valores relativos a pena de prestação pecuniária, implantação do módulo para recolhimento das diligências de oficiais de justiça e das despesas processuais.

 

Comunicação Social TJSP – RS (texto) / VV (arte)

imprensatj@tjsp.jus.br

Fonte Oficial: AASP.

​Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Portal do Magistrado.

Comentários

Confira Também

TJSP – Suspensão de prazos e do atendimento ao público na 17ª Vara Cível do Foro Central – João Mendes Júnior – AASP

COMUNICADO Nº 155/2020 A Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo COMUNICA …